Cerca de 130 empresas participam na Internacional de Cabo Verde

A edição deste ano foca-se sobretudo na CPLP, “uma plataforma intercontinental de negócios”.

A XXII edição da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), arrancou esta segunda-feira, na Cidade da Praia, com a conferência “Como atingir o sucesso empresarial no atual contexto económico mundial”, com a presença do vice primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.

A abertura da feira é na quarta-feira, com 130 empresas de Cabo Verde, Portugal, Brasil e Espanha, distribuído por um total de 220 stands.

De acordo com o presidente da FIC, Gil Costa, na edição deste ano, a procura pelos stands superou de longe ao número proposto desde início.

“Foram registadas 130 empresas, mais 10% do que no ano anterior”, aponta Gil Évora que indica que cerca de 20 empresa ficou na lista de espera porque  a organização não conseguiu integrar por falta de capacidade.

Em termos de distribuição de stands e empresas, “dos 130 expositores, distribuídos em 220 stands, 60% são pertencentes às empresas de direito cabo-verdiano, 37% de empresas de origem portuguesa e dois da Espanha e 1% do Brasil”, disse presidente da FIC.

A participação “expressiva” das empresas cabo-verdianas na FIC demonstra, “efetivamente, a importância que a feira vem assumir, não só na agenda nacional como junto dos países parceiros”, explica Gil Costa.

Este ano, a feira tem como lema “CPLP, uma plataforma intercontinental de negócios”, uma escolha que, segundo o presidente do conselho de administração da FIC, Gil Costa, se deve ao facto deste ano Cabo Verde assumir a presidência rotativa da CPLP.

E por ser uma edição dedicada à CPLP, a feira deverá contar com a participação e a presença de todos os países desta comunicade. Aqueles que não participam com stand estarão no evento enquanto visitantes profissionais.

A XXII edição tem como novidade ainda a premiação, pela primeira vez, do melhor stand e melhor design: “Nós queremos com isto reconhecer e incentivar o esforço que em cada edição os nossos expositores fazem para uma participação diferenciada, mas também queremos que esse prémio possa servir de inspiração às demais empresas, até porque quando melhor for a estratégia durante a participação, consequentemente poderá resultar mais e melhores negócios”, explicou, em conferência de imprensa.

Esta terça-feira realiza-se reunião ordinária da direção e Assembleia Geral do Conselho Economico (CE) da CPLP, em que Cabo Verde irá assumirá o mandato desta organização para o período 2018/2022.

A feira arranca no dia 14 e termina no dia 18 e (além da mostra de produtos e serviços o evento, que terá lugar nas instalações da FIC, em Achada Grande Frente) terá uma forte componente das atividades paralelas.

A FIC ficará ainda marcada pelo ato público de assinatura do contrato de “compra e venda” da participação do Estado na FIC pelas câmaras de comércio de Cabo Verde, marcado para o primeiro dia da Feira.

A organização da FIC estima receber uma média diária de 2.500 pessoas, totalizando 12.500 visitantes durante os cinco dias do evento.

Ler mais
Recomendadas

Governo cabo-verdiano afasta problema de gestão nos aeroportos após rotura de combustíveis na Ilha do Sal

O ‘jet fuel’ afetou aviões que fizeram escala técnica na ilha no final da semana passada.

UE tem 2,5 milhões de euros para desenvolvimento sustentável e inclusão social em Cabo Verde

“Vamos ter em conta as propostas apresentadas, as temáticas tratadas, o trabalho já feito pelas organizações que vão apresentar estes projetos, a viabilidade e a sustentabilidade desses projetos, uma vez terminado o potencial financiamento”, disse Sofia Moreira de Sousa, embaixadora da União Europeia em Cabo Verde.

Bolsa de Valores de Cabo Verde sugere união dos Fundos do Ambiente, Turismo e Rodoviário

Emanuel Lima considera que esta pode ser a solução para grandes investimentos em Cabo Verde.
Comentários