Cerimónia fúnebre de Dom Paulino Évora reúne centenas de pessoas na Praia

A ilha de Santiago disse adeus ao primeiro bispo de Cabo Verde. Dom Paulino Évora foi ordenado sacerdote em Portugal em 1962.

Centenas de pessoas assistiram esta quarta-feira à cerimónia fúnebre do bispo emérito da diocese de Santiago, na cidade da Praia, em Cabo Verde, onde nem o sol ou o calor afastaram os populares da principal praça da capital.

A igreja pró-Catedral de Nossa Senhora da Graça, na cidade da Praia, cedo se encheu de elementos do clero, representantes do governo cabo-verdiano, como o primeiro-ministro e o presidente da Assembleia Nacional, sendo que o chefe de Estado de Cabo Verde se deslocou em Bruxelas a participar nas Jornadas Europeias de Desenvolvimento.

Fora da igreja, a praça Alexandre Albuquerque esteve sem circulação de trânsito e foi adaptada para receber os fieis, alguns dos quais com cadeiras que, previdentes, trouxeram de casa.

A autarquia instalou um ecrã de grandes dimensões, no qual a população pode seguir as cerimónias religiosas, nomeadamente a missa presidida pelo cardeal e bispo da diocese de Santiago, Arlindo Furtado.

No seguimento desta morte, o governo decretou dois dias de luto nacional e concedeu tolerância de ponto aos funcionários do Estado da ilha de Santiago, durante todo o dia de hoje para permitir a participação dos féis na cerimonio das exéquias.

As cerimónias começaram às 10:00 locais (12:00 em Lisboa), ao som do Coro Paroquial de Nossa Senhora da Graça e terminaram às 13:30 (15:30 em Lisboa)

O cardeal e bispo da diocese de Santiago, Arlindo Furtado, referiu-se a Paulino Livramento Évora como alguém que “deixou um grande legado que deve ser assumido e desenvolvido para o bem da igreja e da sociedade cabo-verdiana”. Por isso, considerou que o momento é de tristeza, mas também de gratidão.

“Tristeza pela partida do nosso pastor que nos acompanhou por muitos anos e com tanta dedicação. Por um lado, a saudade, porque nos faz falta como referência, como conselheiro, mas também de gratidão a Deus por tudo que ele fez por esta igreja que constitui um grande legado que nós devemos assumir e desenvolver para o bem da igreja e da sociedade de Cabo Verde”, adiantou, citado pela agência de notícias cabo-verdiana Inforpress.

Dom Paulino Évora foi sepultado na Igreja Nossa Senhora da Graça, uma decisão da diocese em cumprimento a uma exigência canónica autorizada pela Câmara Municipal da Praia e do Ministério da Saúde e da Justiça cabo-verdiano.

Dom Paulino Évora foi o primeiro cabo-verdiano a ser ordenado sacerdote, em Carcavelos (Portugal ), em 1962, e foi eleito Bispo de Cabo Verde em  abril de 1975. Exerceu o ministério em condições humanas e sociais difíceis e culturalmente adversas, especialmente nos anos 70 e 80, tendo sido eleito Bispo Emérito desde julho de 2009. Até falecer, vivia na comunidade das irmãs franciscanas, na cidade da Praia.

Ler mais
Recomendadas

Empresários e contabilistas destacam oportunidade da Grande Baía para Macau e Portugal

Maria da Assunção Abdula, presidente da Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras da CPLP, apelou à união entre empresários dos países de língua portuguesa. Maria Carolina Lousinha, da Aicep, diz que a agência está disponível para ajudar na internacionalização para Macau.

Decore esta data. UNESCO decreta o Dia Mundial da Língua Portuguesa

“É a primeira vez que a UNESCO toma uma decisão destas em relação a uma língua que não é uma das línguas oficiais da UNESCO. Por unanimidade, as pessoas reverem-se na ideia de que é importante um dia mundial da língua portuguesa é muito importante”, afirmou António Sampaio da Nóvoa em declarações à agência Lusa.

Cabo Verde receberá em março Encontro Internacional da Juventude Africana

O chefe de Estado cabo-verdiano fez o anúncio da realização deste encontro durante o discurso de abertura do I Fórum Nacional da Juventude, que decorre até sábado na ilha de São Vicente, numa parceria do Governo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
Comentários