Cerimónia fúnebre de Dom Paulino Évora reúne centenas de pessoas na Praia

A ilha de Santiago disse adeus ao primeiro bispo de Cabo Verde. Dom Paulino Évora foi ordenado sacerdote em Portugal em 1962.

Centenas de pessoas assistiram esta quarta-feira à cerimónia fúnebre do bispo emérito da diocese de Santiago, na cidade da Praia, em Cabo Verde, onde nem o sol ou o calor afastaram os populares da principal praça da capital.

A igreja pró-Catedral de Nossa Senhora da Graça, na cidade da Praia, cedo se encheu de elementos do clero, representantes do governo cabo-verdiano, como o primeiro-ministro e o presidente da Assembleia Nacional, sendo que o chefe de Estado de Cabo Verde se deslocou em Bruxelas a participar nas Jornadas Europeias de Desenvolvimento.

Fora da igreja, a praça Alexandre Albuquerque esteve sem circulação de trânsito e foi adaptada para receber os fieis, alguns dos quais com cadeiras que, previdentes, trouxeram de casa.

A autarquia instalou um ecrã de grandes dimensões, no qual a população pode seguir as cerimónias religiosas, nomeadamente a missa presidida pelo cardeal e bispo da diocese de Santiago, Arlindo Furtado.

No seguimento desta morte, o governo decretou dois dias de luto nacional e concedeu tolerância de ponto aos funcionários do Estado da ilha de Santiago, durante todo o dia de hoje para permitir a participação dos féis na cerimonio das exéquias.

As cerimónias começaram às 10:00 locais (12:00 em Lisboa), ao som do Coro Paroquial de Nossa Senhora da Graça e terminaram às 13:30 (15:30 em Lisboa)

O cardeal e bispo da diocese de Santiago, Arlindo Furtado, referiu-se a Paulino Livramento Évora como alguém que “deixou um grande legado que deve ser assumido e desenvolvido para o bem da igreja e da sociedade cabo-verdiana”. Por isso, considerou que o momento é de tristeza, mas também de gratidão.

“Tristeza pela partida do nosso pastor que nos acompanhou por muitos anos e com tanta dedicação. Por um lado, a saudade, porque nos faz falta como referência, como conselheiro, mas também de gratidão a Deus por tudo que ele fez por esta igreja que constitui um grande legado que nós devemos assumir e desenvolver para o bem da igreja e da sociedade de Cabo Verde”, adiantou, citado pela agência de notícias cabo-verdiana Inforpress.

Dom Paulino Évora foi sepultado na Igreja Nossa Senhora da Graça, uma decisão da diocese em cumprimento a uma exigência canónica autorizada pela Câmara Municipal da Praia e do Ministério da Saúde e da Justiça cabo-verdiano.

Dom Paulino Évora foi o primeiro cabo-verdiano a ser ordenado sacerdote, em Carcavelos (Portugal ), em 1962, e foi eleito Bispo de Cabo Verde em  abril de 1975. Exerceu o ministério em condições humanas e sociais difíceis e culturalmente adversas, especialmente nos anos 70 e 80, tendo sido eleito Bispo Emérito desde julho de 2009. Até falecer, vivia na comunidade das irmãs franciscanas, na cidade da Praia.

Ler mais
Recomendadas

FMI aprova instrumento para apoiar Cabo Verde nas reformas

O novo Instrumento de Coordenação de Políticas do Fundo Monetário Internacional estará a funcionar entre julho de 2019 a janeiro de 2021.

BICV e Ecobank emprestam 21 milhões de euros à Cabo Verde Airlines

Os representantes dos bancos, BICV e Ecobank, que vão assegurar este financiamento assumiram acreditar no projeto, classificando-o de “estratégico” para Cabo Verde.

Governo de Cabo Verde vai impedir interferência na aprovação do orçamento do banco central

Segundo o ministro das Finanças cabo-verdiano, os órgãos do Banco de Cabo Verde terão “todos os poderes para fazer a gestão da instituição e prestar contas às entidades externas nos termos que a lei dispõe”.
Comentários