CGD arresta quadros e esculturas da casa de Joe Berardo para executar dívida de 50 milhões de euros

As obras de arte foram retiradas da residência de luxo do empresário na Avenida Infante Santo em Lisboa. Em junho a Caixa Geral de Depósitos avançou com arresto de bens para recuperar uma dívida de 50,2 milhões do grupo Joe Berardo.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) arrestou um conjunto de obras de arte valiosas da residência do empresário Joe Berardo, avaliadas em milhares de euros. O objetivo do banco público passa por recuperar uma dívida do grupo Joe Berardo, no valor de 50,2 milhões de euros, segundo conta a edição do “Correio da Manhã” esta quinta-feira.

Quadros, esculturas e outros bens permanecem na habitação de luxo situada na Avenida Infante Santo em Lisboa, mas encontram-se assinaladas como bens arrestados, tendo sido fotografadas pelo agente de execução, de modo a garantir que não desaparecem e que serão, se for o caso utilizados na dívida à CGD.

Este valioso conjunto foi arrestado no âmbito do processo judicial colocado pela CGD na Madeira. Entre janeiro e junho deste ano, o Tribunal da Comarca da Madeira condenou a Metalgest, empresa do grupo Joe Berardo, ao pagamento de uma dívida de 50,2 milhões de euros.

No mesmo processo a CGD arrestou no mês de junho dois imóveis em Lisboa: a casa onde o empresário vive atualmente na Avenida Infante Santo e um apartamento no bairro da Lapa, estando as duas residências avaliadas em 3,3 milhões de euros.

Recomendadas

PremiumCGD vende filial em Espanha acima do valor de mercado

A Caixa vendeu o Banco Caixa Geral ao Abanca com um múltiplo acima da média do mercado. O Price-to-Book Value inerente à transação foi de 0,74x acima da média na Ibéria que é de 0,57x.

Premium“O regime fiscal da poupança devia melhorar”

A mais antiga sociedade gestora portuguesa de fundos de pensões, a SGF, foi comprada pela Golden. O presidente, António Nunes da Silva fala do novo posicionamento estratégico.

Líderes da UE formalizam nomeação de Lagarde na presidência do BCE

Os líderes da União Europeia (UE) formalizaram hoje, em Bruxelas, a nomeação de Christine Lagarde como presidente do Banco Central Europeu (BCE), para um mandato de oito anos, não renovável, em substituição de Mário Draghi.
Comentários