‘Chauffeur Privé’: nova plataforma de mobilidade chega a Portugal

Além de Paris, a aplicação funciona em Lyon e na Côte d’Azur e Lisboa será a primeira cidade fora de França a ter o serviço.

A Chauffeur Privé, plataforma de transporte e mobilidade urbana em viaturas chamadas através de app, acaba de entrar no mercado nacional em dia de protesto dos taxistas referente à designada lei ‘Uber’.

“Com mais de 2 milhão de clientes e 18 mil motoristas, a Chauffeur Privé é um dos principais operadores de serviços de aluguer de veículos particulares em França. Além de Paris, a aplicação funciona em Lyon e na Côte d’Azur e Lisboa será a primeira cidade fora de França a ter o serviço”, salienta a PHD, agência que irá fazer o planeamento estratégico da marca em Portugal.

“Esta forma de transporte urbano é uma realidade no mercado e a entrada de um novo player como a Chauffeur Privé vai trazer uma nova dinâmica ao setor. Sendo um serviço suportado no download de uma app, toda a estratégia de meios tem por objetivo uma otimização da conversão potenciada por uma segmentação afinada de audiências, meios e formatos”, revela Sandra Alvarez, diretora-geral da PHD.

 

Recomendadas

OCDE: Portugal é dos poucos países onde perceção sobre imigração evoluiu positivamente

Portugal foi um dos poucos países europeus onde a perceção sobre os imigrantes evoluiu mais favoravelmente nos últimos doze anos, de acordo com um relatório da OCDE, que considera o país uma “notável exceção”.

Ana Paula Vitorino garante que a próxima reunião do Porto de Setúbal “é para fechar um acordo”

Na entrevista, a ministra do Mar faz pela primeira vez as contas aos prejuízos da greve no Porto de Setúbal e revela que se a greve continuasse até ao final do ano, haveria uma redução de 70% no volume de negócios. Até ao momento, segundo a ministra do Mar, “o prejuízo ronda os 50% de um total anual de 300 milhões de euros, sem contar com o valor induzido”.

136 mil participantes e 1.200 detenções: os números dos protestos dos “coletes amarelos” este sábado

Perto de 136.000 pessoas participaram nesta jornada de mobilização, tantas quantas as que engrossaram a mobilização de 1 de dezembro, acrescentou o Ministério do Interior.
Comentários