Chefe do Pentágono faz visita surpresa ao Afeganistão

O chefe do Pentágono iniciou esta segunda-feira uma visita surpresa ao Afeganistão para se encontrar com comandantes norte-americanos e líderes afegãos, quando estão a ser conduzidas negociações de paz com o movimento grupo extremista islâmico Talibã.

O chefe do Pentágono iniciou esta segunda-feira uma visita surpresa ao Afeganistão para se encontrar com comandantes norte-americanos e líderes afegãos, quando estãPentágono o a ser conduzidas negociações de paz com o movimento grupo extremista islâmico Talibã.

O recém-nomeado secretário da Defesa interino, Pat Shanahan, disse que não tem ordens para reduzir a presença das tropas norte-americanas, embora essa matéria esteja no topo da lista de exigências dos talibãs nas negociações exploratórias de paz, indicaram diversos responsáveis envolvidos no processo.

Shanahan disse ser encorajador que o Governo do Presidente Donald Trump esteja a explorar todas as possibilidades para acabar com uma guerra que dura há 17 anos, a mais longa da história norte-americana.

Contudo, o responsável sublinhou que os termos de paz devem ser decididos pelos afegãos. Até agora, os talibãs recusaram-se a negociar com o Presidente afegão, Ashraf Ghani, cuja presidência é considerada ilegítima pelo grupo extremista, um impasse que Washington está a tentar ultrapassar.

“Os afegãos têm que decidir o que é o Afeganistão. Isto não é sobre os EUA, é sobre o Afeganistão”, disse Shanahan aos jornalistas.

Na sexta-feira, o enviado especial da Administração norte-americana para as negociações de paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad, disse esperar que seja alcançado, embora as negociações estejam numa fase inicial, um acordo até julho, quando estão agendadas eleições presidenciais naquele país.

Ler mais
Recomendadas

Camiões com ajuda humanitária destinada à Venezuela incendiados na fronteira com Colômbia

Dois camiões com ajuda humanitária destinada à Venezuela foram incendiados hoje no lado venezuelano de uma ponte na fronteira com a Colômbia, denunciou a deputada Gaby Arellano, que acusou a polícia nacional bolivariana de atear as chamas.

Rangel considera que movimento de contestação popular na Venezuela pode representar “ponto de viragem”

O eurodeputado Paulo Rangel disse hoje que a entrada de ajuda humanitária na Venezuela pela fronteira com a Colômbia estava às 17:30 bloqueada e que os relatos que chegam de contestação popular podem sinalizar “um ponto de viragem” no regime.

Venezuela: Nicolás Maduro anuncia corte de relações com a Colômbia

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou hoje o corte de relações diplomáticas e políticas com a Colômbia, país que acusa de apoiar os EUA num golpe de Estado contra o seu regime. “Decidi romper todas as relações políticas e diplomáticas com a Colômbia. Não se pode aceitar que continuem a disponibilizar o território colombiano para provocações contra a Venezuela”.
Comentários