Chuva dos últimos dias gera recorde na produção de eletricidade

“Com a chuva dos últimos dias” a produção hidráulica alcançou um novo máximo com 5.689 MW, 142 MW acima do anterior máximo de 15 de fevereiro de 2016, avança a REN.

Ler mais

A produção de eletricidade bateu o recorde esta quarta-feira, com as barragens a atingirem um novo máximo histórico devido à chuva dos últimos dias, anunciou hoje em comunicado a REN – Redes Energéticas Nacionais.

Segundo a empresa gestora da rede elétrica, registou-se um novo máximo histórico na produção nacional de eletricidade, de 12.043 megawatts (MW) na quarta-feira, superior em 555 MW ao anterior valor máximo, datado de 18 de fevereiro de 2016.

Também na quarta-feira, “com a chuva dos últimos dias” a produção hidráulica alcançou um novo máximo com 5.689 MW, 142 MW acima do anterior máximo de 15 de fevereiro de 2016, avança a REN, referindo que a potência instalada atualmente é de 7.193 MW.

No mesmo dia, o consumo nacional atingiu 8.417 MW e o sistema exportava cerca de 3.600 MW. O máximo histórico do consumo nacional é de 9.403 MW registado em 2010.

A empresa liderada por Rodrigo Costa refere ainda que no dia 26 de fevereiro a exportação de energia elétrica ultrapassou pela primeira vez os 4.000 MW. O novo máximo agora fixado, 4.042 MW, é superior em 400 MW ao anterior, verificado em 02 de janeiro de 2017.

A rede de Transportes também bateu o recorde na quarta-feira com 9.240 MW, 100 MW acima do anterior máximo de 18 de fevereiro de 2016.

Recomendadas

Trump sobre Maduro: poderia ser “rapidamente derrubado” pelo exército venezuelano

Trump, que hoje interveio no primeiro dia do Debate Geral na 73.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU, declarou esta terça-feira que a situação na Venezuela é “um caso triste” que deseja “ver resolvido”.

“Querem atacar-me, ataquem-me a mim”. Maduro critica Departamento do Tesouro norte-americano

O primeiro mandatário venezuelano reagia ao anúncio de hoje, de novas sanções do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos da América (EUA) contra quatro pessoas do seu Governo, entre elas Cília Adela Flores de Maduro.

Ex-primeiro francês quer ser presidente da câmara municipal de Barcelona

“Quero ser o próximo presidente de câmara de Barcelona“, disse Manuel Vals, em catalão, numa cerimónia pública no Centro de Cultura Contemporânea da capital da Catalunha, colocando fim a vários meses de dúvida em relação às suas intenções de regressar à cidade em que nasceu há 56 anos.
Comentários