PremiumCimeira de investidores voltou a Lisboa mas startups querem Silicon Valley

Nuno Fonseca, CEO da Sound Particles, criou a empresa em Leiria, mas, neste momento, 60% dos clientes são da Califórnia. O empresário português considera que as startups devem abrir horizontes e olhar para o “mercado global”.

Lisboa foi novamente palco da cimeira de investidores em capital de risco. Empreendedores, venture capitalists e mundo corporate juntaram-se entre os dias 6 e 7 de junho na Cordoaria Nacional para, informalmente, unir esforços e melhorar oportunidades de financiamentos. A Lisbon Investment Summit recebeu mais de 200 investidores, 750 startups, e 400 executivos de empresas de grandes dimensões, que se reuniram nos clássicos puffs no chão e entre mensagens de parede como “Aprende com os disruptores” e “Encontra o teu investidor de sonho”.

A Euronext aproveitou a ocasião para aliciar mais empresas tecnológicas a tornarem-se públicas. O grupo pan-europeu que gere a Bolsa de Lisboa considera que as empresas mais jovens devem optar por um IPO (Oferta Pública Inicial) se quiserem ganhar visibilidade e credibilidade, financiamento, diversificação da estrutura acionista, liquidez e evitar que os investidores se apoderem da empresa, preservando o controlo da mesma. “O mercado de capitais é a Liga dos Campeões. Só pelo facto de uma empresa estar cotada aumenta significativamente a sua legitimidade e a forma como os clientes olham para ela”, defendeu Filipa Franco, head of listing da Euronext, acrescentando que há vários casos de empresas ainda em early stage que se juntaram a estas praças financeiras da Europa.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumCDU defende regime fiscal próprio

Entre as medidas que a CDU defende está um regime fiscal próprio para a Região, com a particularidade de criar um imposto para os detentores de patrimónios e carros de luxo.

PremiumVilamoura quer ‘dar cartas’ como destino mundial de póquer

Após anos de incerteza, o Algarve está de novo no radar das grandes organizações de torneios internacionais de póquer.

PremiumO advogado que ensinou gerações de estudantes de Direito

Com a fundação da Cuatrecasas/Gonçalves Pereira, o advogado protagonizou uma das mais importantes fusões da advocacia ibérica. Ao longo da carreira representou o país em organismos internacionais. Faleceu no passado dia 9 de setembro, aos 83 anos.
Comentários