Cimeira ibérica de amanhã centrada nas relações fronteiriças

A cimeira ibérica de Valladolid marca estreia de Pedro Sánchez na qualidade de primeiro-ministro de Espanha.

Miguel A. Lopes / Lusa

A cimeira ibérica que se irá realizar amanhã, dia 21 de novembro, em Valladolid, entre os prmeiros-ministros de Portugasl, antónio Costa, e de Espanha, Pedro Sánchez, deverá ser marcada pelas questões fronteiriças.

Apesar de não ser publicamente conhecida a agenda oficial da cimeira, o reforço das ligações fronteiriças entre os dois países ibéricos, ao nível dos transportes e das infraestruturas logísticas e de transportes, em particular no segmento ferroviário, deverá dominar as atenções deste encontro os dois chefes de governo.

O enfoque deverá ser dado a uma estratégica comum para inverter o despovoamento das regiões raianas entre os dois países.

O reforço das ligações fronteiriças entre Portugal e Espanha também deverá se discutido no âmbito das ligações energéticas e no setor do ambiente.

Neste último capítulo, destaque para as pressões, do lado português, para cessar a atividade e a emissão de poluentes por parte da centeal nuclear de Almaraz, assim como a a cada vez mais polémica questão dos transvases e da poluição crescente do caudal do Tejo, junto à fronteira com Espanha.

Esta cimeira ibérica marca também a estreia de Pedro Sánchez, na qualidade de primeiro-ministro de Espanha.

A última cimeira ibérica decorreu em maio, em Vila Real, Trás-osMontes, tendo sido a última que António Costa teve como interlocutor Mariano Rajoy, cujo partido foi afastado do poder em Espanha.

 

 

Ler mais
Recomendadas

ASAE apanha talhos a vender carne falsificada e estragada

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

Medina diz que verdadeiro debate é “se vamos ou não ser capazes de concertar a União Económica e Monetária”

Fernando Medina referiu este sábado que a questão central na Europa é que “o regime monetário não esta resolvido mais de dez anos passados sobre a crise”.

Caixa Geral concedeu crédito de 125 milhões a Isabel dos Santos sem avaliar situação financeira

Caixa concedeu crédito sem avaliar a situação financeira da empresário. Crédito foi criticado pelo Banco de Portugal. Banco era liderado por Fernando Faria de Oliveira em 2009. Fonte próxima da empresária disse que o “crédito está em dia e grande parte já foi amortizado”.
Comentários