Cimeira: Sánchez e Macron estão atualmente “num processo de transição energética”

Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol e o chefe de Estado de França, Emmanuel Macron, estiveram hoje na segunda Cimeira das Interligações Energéticas, que decorreu hoje em Lisboa.

Sánchez e Macron alegaram que os seus países estão atualmente “num processo de transição energética”, em que a questão da segurança é primordial.

“O objetivo de Espanha é a transição energética, com uma aposta decidida nas renováveis, [mas] garantindo a segurança do país, designadamente a existência de preços competitivos”, disse Pedro Sánchez.

A seguir, o primeiro-ministro espanhol referiu-se à questão da segurança da central nuclear de Almaraz, localizada perto da fronteira portuguesa, invocando conversas “frequentes” que tem mantido com António Costa.

“Em relação à central nuclear de Almaraz, tenho falado muito sobre esse assunto com o primeiro-ministro, António Costa. O compromisso é transmitir toda a informação à sociedade portuguesa sobre o presente e o futuro” da central, declarou.

Já Emmanuel Macron começou por referir que França vai encerrar uma central nuclear junto à fronteira com a Alemanha, mas alegou que o seu país “não pode fechar centrais nucleares para abrir ou reabrir centrais a carvão ou para comprar gás ao estrangeiro”.

Relacionadas

António Costa: Cimeira de Lisboa “estabelece novas metas ambiciosas”

O primeiro-ministro português afirmou hoje que na cimeira de Lisboa sobre interligações energéticas com Espanha e França foi “dado um passo significativo” com a definição do financiamento do projeto de infraestruturas e o estabelecimento de metas ambiciosas.

Energia: assinado contrato de 578 milhões para ligação elétrica entre a Península Ibérica e França

Este é o maior montante alguma vez atribuído a um projeto de infraestruturas energéticas.
Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários