CISAC vê salários como “coração” do desenvolvimento cultural de Cabo Verde

O diretor da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores considera “inadmissível” que bares, hotéis, restaurantes e cinemas utilizem músicas sem dar o devido reconhecimento aos seus autores.

O diretor da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (CISAC) considera que remuneração dos autores “simboliza o coração” para o desenvolvimento da cultura industrial e diz ser “inadmissível” que bares, hotéis, restaurantes e cinemas utilizem músicas sem dar o devido reconhecimento aos seus autores.

Samuel Sangwa fez estas considerações no final da missão conjunta do Conselho Internacional de Autores de Música (CIAM) e do Comité Executivo do Comité Regional Africano da CISAC (CECAF), realizado em Cabo Verde, onde foi debatida e traçada a estratégia, em vista a defesa dos direitos de autores e músicos.

Este dirigente da CISAC referiu que os autores/cantores merecem a recompensa pelas suas criações, argumentando que para isto aconteça o mundo precisa de uma sociedade forte, comprometida e empenhada em ajudar os criadores. De acordo com este responsável, é também determinante que os artistas sejam pagos pelos seus trabalhos.

A CISAC “valoriza a sua presença em Cabo Verde enquanto país muito acolhedor, o país de Cesária Évora, grande representante de Cabo Verde no mundo”, disse Samuel Sangwa, sublinhando que, durante a semana de trabalho com autores cabo-verdianos em copyright, fez compreender o quão importante é o papel da música, enquanto factor do desenvolvimento da cultura cabo-verdiana.

Samuel Sangwa disse que o país precisa de cultura para trabalhos, turismo, e para crescimento, tendo afiançado que a CISAC acredita no trabalho para representar os quatro milhões de autores em todo o mundo, dos quais 37 sociedades de autores africanos, cooperativas e copyright de 31 países, de que a SCM é um dos membros integrantes.

Para que haja uma sociedade que acredite na música, asseverou, é necessário o envolvimento e ajuda do Governo, razão pela qual fez questão de agradecer o executivo cabo-verdiano, representado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e pelo ministro da Cultura, Abraão Vicente, pela “forte dedicação em ajudar a suportar o desenvolvimento da cultura”.

Além disso, garante que a Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) tem estado com vontade de trabalhar com a CISAC nos últimos anos, tanto em África, como em Cabo Verde, pelo que disse acreditar que a eleição de Solange Cesarovna, enquanto música e compositora, como membro permanente do Conselho Internacional de Autores de Música (CIAM) deve ser encarado como um grande passo para a música.

Ler mais
Recomendadas

Acordo sobre mobilidade na CPLP será aprovado em julho em Cabo Verde

A data foi definida na V reunião dos ministros do Interior e da Administração Interna da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que terminou na cidade da Praia, capital de Cabo Verde, país que atualmente assume a presidência rotativa da instituição.

Cabo Verde Airlines e TAAG assinam acordo para voos Luanda-Sal

A parceria prevê que uma das companhias transporte passageiros da outra. Ou seja, se comprar um bilhete para um voo da Cabo Verde Airlines entre Luanda e Sal irá viajar num avião da transportadora aérea angolana.

CIN promete transformar Cabo Verde num país plataforma no Atlântico

Na tomada de posse dp gabinete de operacionalização deste Centro Internacional de Negócios, vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia, que considerou ser “obrigação” do governo criar novas oportunidades para os jovens.
Comentários