Comissão Europeia dá ‘luz verde’ a turcos da OYAK para compra da Cimpor

Bruxelas aprovou o negócio que prevê a integração no portefólio da Ordu Yardimlaşma Kurumu três fábricas e as duas moagens de cimento, 20 pedreiras e 46 centrais de betão localizadas em Portugal e em Cabo Verde.

A Comissão Europeia aprovou esta quinta-feira, ao abrigo do Regulamento das Concentrações da União Europeia, a compra do controlo exclusivo sobre a Cimpor – Cimentos de Portugal pela turca Ordu Yardimlaşma Kurumu (OYAK).

Bruxelas concluiu que, embora tanto a Cimpor como o fundo de pensões OYAK estejam ativos na indústria do cimento, “a operação proposta não suscitaria preocupações em matéria de concorrência devido à ausência de sobreposições verticais ou horizontais, uma vez que as duas empresas não desenvolvem atividades nos mesmos mercados geográficos”.

A instituição europeia liderada por Jean-Claude Juncker refere que a transação “foi examinada no âmbito do procedimento simplificado no contexto do procedimento de exame da concentração”.

A 26 de outubro de 2018, os brasileiros donos da cimenteira nacional e o conglomerado industrial e financeiro OYAK assinaram um contrato com vista à aquisição pelos turcos de todos os ativos que compõem a unidade de negócio de Portugal e Cabo Verde da Cimpor. O valor do negócio não foi revelado mas a agência “Reuters” noticiou, na altura, que a InterCement encaixaria 700 milhões de euros.

A InterCement – empresa do grupo Camargo Corrêa que atua na produção de cimentos e responsável pela compra da Cimpor em 2012 por 1,5 mil milhões de euros – assinou com o grupo OYAK um contrato “que tem como objeto a venda de todos os ativos que compõem a unidade de negócio de Portugal e Cabo Verde”, referia o comunicado, divulgado nessa data.

Através desta aquisição, a OYAK integrará no seu portefólio as três fábricas e as duas moagens de cimento, as 20 pedreiras e as 46 centrais de betão localizadas em Portugal e em Cabo Verde. As atuais estruturas diretivas das áreas produtivas e dos serviços centrais da Cimpor em Portugal e Cabo Verde manter-se-ão em funções, garantiram as partes.

Notícia atualizada às 12h30

Ler mais
Relacionadas

Brasileiros vendem Cimpor ao turcos da OYAK

O novo dono da Cimpor é um conglomerado industrial e financeiro da Turquia.
Recomendadas

IEFP anuncia maior programa de estágios profissionais em Cabo Verde

Trata-se de um programa que visa uma melhor inserção dos jovens recém-formados no mercado de trabalho, segundo este responsável, que explicou que este instrumento define os subsídios de estágio para jovens com licenciatura e com formação profissional.

Governo de Cabo Verde quer Santo Antão como “ilha pioneira” no turismo responsável

O executivo cabo-verdiano já prometeu, através do Fundo do Turismo, disponibilizar, nos próximos três anos, “recursos substanciais” para investimentos no turismo em Santo Antão.

CPLP cria fundo especial para apoiar Moçambique

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa vai criar um fundo especial para apoiar as vítimas do ciclone Idai em Moçambique, anunciou o presidente em exercício da organização e embaixador de Cabo Verde em Lisboa, Eurico Monteiro.
Comentários