Como a Indústria 4.0 pode ajudar a criar a fábrica do futuro

A fábrica do futuro é o centro de uma cadeia de distribuição que combina clientes, fornecedores, distribuidores e parceiros com sistemas analíticos avançados. Isso pode levar a uma “produção perfeita” com o mínimo de tempo de inatividade, negligência, desperdício e ineficiência.

Abaixo, exploramos as principais tecnologias que compõem a Indústria 4.0, para que possa implementá-las na sua empresa de produção.

Internet das Coisas (Internet of Things – IoT)
A IoT é a fusão de objetos físicos, como software, sensores e itens eletrónicos, com a Internet e a recolha e transferência de dados ativados por máquinas. A IoT permite que as cadeias de distribuição tradicionais se tornem mais digitais e conectadas. Exemplos da IoT em ação incluem a facilidade das aplicações e o fluxo de produção em fábricas, pois podem monitorizar automaticamente os ciclos de desenvolvimento.

Grande volume de dados e análise avançada
A maneira como as empresas leem e analisam a enorme quantidade de dados que acompanham a IoT é vital. Na produção, a disponibilidade de dados do desenvolvimento do produto, produção e ensaio, por exemplo, pode adicionar novas dimensões, permitindo inovação e tomada de decisões direcionados.

Robótica
Os robôs já são usados extensivamente no mundo da produção – braços mecânicos nos braços de montagem são um exemplo disso. A Indústria 4.0 poderia ver a contribuição dos robôs a aumentar.

Simulações, impressão 3D e realidade aumentada
Já é comum os produtos serem virtualmente modelados e testados, poupando tempo e reduzindo os materiais, esforços e investimento. Através da impressão 3D, podemos ver a criação de designs personalizados, complexos e leves em velocidades notáveis.

Ganhe vantagem competitiva
Apenas 30% dos fabricantes que investem na transformação das suas operações digitais atingirão todo o seu potencial, retidos por modelos de negócio e tecnologia ultrapassados. A sua empresa pode usar a Indústria 4.0 para criar uma vantagem competitiva e melhorar a sua oferta de produtos, fidelidade e satisfação entre a base de clientes.

Os quatro pilares para uma estratégia eficaz da Indústria 4.0:

  1. Pessoas
    As tarefas, até agora geridas por pessoas, estão a ser entregues cada vez mais recorrentemente a robôs e à inteligência artificial (IA), mas os seres humanos ainda terão um papel importante.
  2. Software
    Aproveitar os sistemas integrados que podem suportar todas as áreas dos seus negócios – como o Sage X3 (stock, vendas, produção, contabilidade e finanças) – é vital. Isso fornecerá uma única base de dados e uma funcionalidade principal, automatizando as suas operações comerciais e fornecer informações em tempo real.
  3. Hardware
    Num ambiente de fábrica virtual, os seus produtos ainda precisam de ser feitos – tal não acontece sem as máquinas.
  4. Conectividade
    Para diferenciar o seu negócio, precisa de se concentrar nos clientes. Para tal, deve explorar novas formas de fornecer produtos e serviços inovadores.

Por meio da Indústria 4.0, pode olhar em frente para uma fábrica do futuro – conectando informações de modo a que as máquinas inteligentes possam colaborar umas com as outras, administradas por uma equipa de trabalhadores analíticos e especializados.

 

Este conteúdo foi produzido em colaboração com Sage.

Ler mais
Recomendadas

“Não há solução perfeita ou indolor para a TAP”, diz confederação de turismo

O turismo em Portugal preocupa em queda de receitas e aumento de desemprego, mas o líder da CTP acredita na retoma. Defende a prorrogação do ‘lay-off’ e uma campanha de promoção interna.

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.
Comentários