Como pedir um aumento de salário e receber um sim

Quer falar de uma promoção ou um aumento salarial com o seu chefe e não sabe como? Robert Walters, consultora de recrutamento especializado, explica-lhe como fazê-lo de forma bem sucedida em apenas sete passos.

Stefan Wermuth/Reuters
Seja persistente e exigente.
Ler mais

O que é o pior que pode acontecer?

Há muitas razões para se ficar nervoso ao falar de dinheiro, desde falta de auto-estima ao medo da rejeição. Mas não se esqueça que garantir que recebe um valor justo pelo seu trabalho é um direito básico. Se for bem feito, demonstrar que tem capacidades de negociação vai revelar um bom conhecimento comercial que impressionará o seu chefe. Ninguém vai pensar mal de si por perguntar. Qualquer bom chefe irá apreciar ou respeitar a sua confiança e ambição. E, se não, o que diz isso sobre ele(s)?

Afinal, qual é a pior coisa que pode acontecer? De facto, o pior é dizerem-lhe que não, e o seu salário manter-se igual. A questão é – quem prefere ser: alguém que tentou e arriscou, ou alguém que nem se atreveu a perguntar?

Prepare-se… muito

Para pedir um aumento de ordenado é preciso bastante preparação. Comece por refletir sobre o ano que passou e analise os aspetos em que tenha alcançado mais êxito. Pense na descrição do seu trabalho, e note onde teve melhor desempenho. Pergunte-se: que projetos em que esteve envolvido alcançaram realmente sucesso? Tome nota do impacto que teve, tanto na sua equipa, como no negócio da empresa e nos seus resultados.

Este exercício é uma excelente maneira de se relembrar por que razão merece um aumento, mas apresenta outros benefícios. Muitas vezes, o seu manager pode não se lembrar de todas as metas que alcançou, e como contribuiu para a empresa. Por isso, vale a pena recordar-se do feedback que recebeu nas avaliações de desempenho, testemunhos de colegas de trabalho, e comentários positivos de clientes ou outros ramos do negócio.

Quanto pagam outras empresas pelo seu trabalho?

Fique com uma boa noção do valor do seu trabalho no mercado. Não vale a pena negociar só por negociar, ou para provar que consegue. Interessa aproveitar a oportunidade para perceber realmente o que ganham outros profissionais da mesma área, com um perfil semelhante ao seu. As Pesquisas Salariais da Robert Walters a nível regional podem ser muito úteis neste campo. Além disso, muitas indústrias apresentam relatórios dos salários de forma regular, que podem ser boas fontes de informação e comparação.

Outra forma de avaliar o seu ordenado é pesquisar ofertas de emprego para postos semelhantes em sites de recrutamento, visto que muitos, como o LinkedIn, apresentam informação de salário que a podem ajudar a perceber o que estão outras empresas a oferecer pelo seu posto e anos de experiência.

Finalmente, é uma boa ideia falar com um consultor de recrutamento em que confie. Estes lidam com negociações salariais diariamente, e podem aconselhar melhor sobre o valor que deve pedir.

Embora seja importante estabelecer um valor de mercado justo para o seu trabalho, nunca se deve procurar limitar o salário de um colega. É perigoso fazer comparações diretas deste género, como “Por que é que o João ganha mais 500 euros do que eu se estamos os dois no mesmo nível?” Se calhar, não sabe a história toda, e este tipo de abordagem pode fazer com que o seu chefe ache a sua petição menos válida.

Ensaio geral: pratique com alguém de confiança

É importante aprender e praticar a linguagem de negociação correta, de forma confiante, assertiva, educada e direta. Praticar o que vai dizer e como é uma excelente maneira de aumentar a sua confiança para a reunião com o seu chefe. Discuta a sua apresentação com um parceiro ou com um amigo próximo, e treine uma abordagem sem confronto, calma e confiante, excluindo todas as expressões do tipo “peço imensa desculpa” ou “agradeço-lhe imenso”.

Finalmente, aproveite para falar com alguém que tenha passado pelo mesmo sobre os seus medos e preocupações, que pode ser um mentor para o guiar, apoiar e aconselhar.

Foque-se

Uma maneira mais fácil de avaliar a situação de forma clara é distanciar-se, imaginando que está a agir a favor de outra pessoa. Não torne o assunto pessoal. Pense: “Quanto deveria alguém com este trabalho e funções ganhar? Tendo em conta o posto e o ordenado, quanto deveriam realmente pagar a esta pessoa?”

Além disso, há que ter atenção ao timing – quando quer falar sobre salários, é essencial perceber a melhor altura para o fazer. Se a revisão anual de salários da empresa é em janeiro, e pedir uma reunião com o seu chefe em fevereiro, o mais provável é ter perdido a sua oportunidade. Num caso destes, deve marcar uma reunião para novembro, por exemplo.

Da mesma forma, não junte a conversa do seu salário com outro problema ou discussão. Faça uma reunião para falar exclusivamente sobre o seu ordenado, e como este deveria ser superior, seguindo o mercado – não fale de outros temas para não perder o centro e divagar. Se o fizer, arrisca-se a que o seu chefe não perceba o objetivo da reunião e a não ser bem-sucedido.

Aprenda a negociar

Não temos de ser grandes negociadores para fechar um negócio, mas saber o básico pode ser uma grande ajuda:

  • Aprenda a escutar – a escuta ativa demonstra respeito e cria confiança;
  • Reconheça as objeções – “neste momento não temos orçamento para isso” é comum para terminar uma negociação deste tipo. Mas pode manter a conversa a fluir, admitindo a objeção e fazendo perguntas adicionais (como, “Sabe quando teremos orçamento disponível?” ou “Quais são os planos para desenvolver a equipa?”) até conseguir chegar a algum tipo de compromisso ou solução alternativa.
  • Tenha calma – não se sinta pressionado a aceitar a primeira oferta que lhe puserem em cima da mesa. O mais provável é que o seu manager tenha um valor final em mente que está disposto a oferecer, mas este não vai ser o primeiro que lhe vai transmitir.
  • Não sinta necessidade de preencher o silêncio – faça a sua pergunta e espere a resposta, deixando o silêncio encher a sala. Esta é uma técnica clássica de vendas, e bastante poderosa.
  • Expanda as suas opções – Se a oferta final não está alinhada com o que tinha em mente, talvez seja possível negociar outra coisa que também seja boa para si, como mais dias de férias, programas de mentoring, horário flexível, cursos de formação, etc.
  • Reflita – mesmo que esteja feliz com a proposta, durma sempre sobre o assunto. É importante não se deixar levar pela emoção do momento, e ter tempo para discutir a oferta com alguém de confiança.

Pense bem nas suas opções

Se não tiver conseguido exatamente aquilo que pretendia da conversa, mantenha-se calmo e profissional, e não faça nenhum ultimato. Procure ter mais algum tempo para refletir, dizendo que vai pensar no assunto e que dará uma resposta assim que puder.

Nalguns casos, pode não conseguir o que queria porque o seu manager não podia fazer nada naquele momento. Se for esse o caso, diga que gostaria de combinar uma nova data para revisão. Pergunte: “quando acha que seria possível avançar com isto?” tome nota da data e dê o seguimento necessário.

Termine sempre reuniões deste tipo de forma positiva e construtiva, independentemente do resultado, e agradeça o tempo disponibilizado pelo seu chefe para falar sobre o assunto.

Ainda assim, se depois de muita reflexão não se sentir feliz com o resultado da sua negociação, talvez esteja na altura de procurar outro emprego onde sinta que o ordenado está mais próximo daquilo que considera justo receber.

Recomendadas

Comércio “altamente” dependente de flutuações de preços do petróleo

Um aumento do preço do petróleo resulta numa deterioração das trocas comerciais e numa diminuição do poder de compra das famílias, segundo estudo publicado no ‘Economic Bulletin Issue’ do BCE.

‘Fair play’ financeiro: UEFA pede mais investigação ao Paris Saint-Germain

Investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

Porto ultrapassa Lisboa nos preços do alojamento local

Ao contrário do que se verificava tradicionalmente, os valores em Lisboa subiram 11,6%, enquanto que, no Porto, o aumento atingiu os 17,5%.
Comentários