Como uma só pessoa conseguiu manipular a bitcoin dos 150 aos 1.000 dólares

Estudo científico “Manipulação de preço no ecossistema da bitcoin”, Neil Gandal, JT Hamrick, Tyler Moore e Tali Oberman, denuncia o controlo da criptomoeda que a levou a um disparo em apenas dois meses.

Apesar de aliciante, o mercado de bitcoin é apontado como um dos mais arriscados, devido à grande volatilidade e à escassez de enquadramento legal. Além destas questões, a manipulação pode ser um outro problema, depois de quatro investigadores terem descoberto que um único investidor levou a bitcoin a valorizar de 150 dólares para 1.000 dólares, ou seja, a multiplicar o valor por mais de seis, em apenas dois meses.

No artigo “Manipulação de preço no ecossistema da bitcoin”, publicado no Journal of Monetary Economics, os investigadores Neil Gandal, JT Hamrick, Tyler Moore e Tali Oberman, denunciam o controlo da criptomoeda.

“Este artigo identifica e analisa o impacto de atividade de trading suspeito na plataforma de trocas Mt. Gox Bitcoin, na qual aproximadamente 600.000 bitcoins (BTC), avaliadas em 188 milhões de dólares, foram adquiridas de forma fraudulenta”, referem os investigadores.

“Durante dois períodos, a taxa de câmbio USD-BTC subiu uma média de 4% em dias que as trocas suspeitas aconteceram, em comparação com ligeiras descidas nos dias sem atividade suspeita”, continuam. “A atividade de trading suspeita terá provavelmente causado um disparo sem precedentes na taxa de câmbio USD-BTC no final de 2013, quando o par pulou de cerca de 150 dólares para mais de 1.000 dólares, em dois meses”.

A manipulação terá sido conseguida através de dois bots: Markus e Willy, que realizavam trocas aparentemente válidas, mas na realidade não tinham quaisquer bitcoins para trocar. Numa espécie de ataque cibernético, alguém usou o Mt. Gox Bitcoin para criar trocas falsas, manipular o preço e ganhar milhões de dólares.

Os investigadores defendem ainda que a manipulação foi possível porque o mercado de criptomoedas era ainda muito reduzido, numa altura em que a bitcoin dominava completamente o setor. Na altura, eram apenas 80 as criptomoedas disponíveis no mundo, um valor que compara com as atuais 1.450 diferentes criptomoedas.

“Numa altura em que o setor mainstream investe em ativos de criptomoeda e os países avançam no sentido de legalizar a bitcoin como sistema de pagamento (como o Japão fez em abril de 2017), é importante perceber quão suscetível o mercado de criptomoedas é a manipulação. Este estudo apresenta uma primeira análise”, acrescentam os investigadores.

Ler mais

Relacionadas

Bitcoin perde 14% e já vale menos de 12 mil dólares

A moeda virtual atingiu os 11.000 dólares, uma queda que a coloca a mais de 40% abaixo dos máximos de cerca de 20.000 dólares alcançados em dezembro.

Bitcoin reduzida de “ouro digital” a ultrapassada

Os tempos de domínio da pioneira podem estar a chegar ao fim. Novas criptomoedas tentam corrigir falhas anteriores e os especialistas prevêem que a ethereum, que chegou à segunda posição esta semana, não demore a roubar a liderança.

Como investir em criptomoedas

Bitcoin, ethereum, ICO… Não é fácil dar o primeiro passo no mercado criptográfico. As opções são muitas, mas cuidado, pois também há riscos.

“Vão acabar mal”. Warren Buffett garante que não vai investir em bitcoin

O norte-americano que criou um império, e é visto como trendsetter do investimento, vê um cenário desastroso para as criptomoedas. Diz não saber quando ou como, mas acredita que o final não vai ser positivo.
Recomendadas

Nasdaq foi o único a ‘verde’ no fecho da sessão em Wall Street

Amazon, Apple, Microsoft e Alphabet fecharam com ganhos. Já as ações da Beyond Meat – a marca que revolucionou a indústria ao criar alimentos vegan com sabor a carne – subiram 1,30% para 145,62 dólares, depois de ter anunciado um acordo com a McDonald’s e a Yum!Brands.

DBRS mantém rating de Portugal em nível ‘BBB’

“O impacto no perfil de crédito de Portugal dependerá da duração do choque [da Covid-19 na economia] e em se altera estruturalmente as perspetivas de crescimento a médio prazo e enfraquece as finanças públicas”, refere a agência de notação financeira.

CMVM proferiu decisões em 11 processos de contraordenação no quarto trimestre de 2020

A entidade presidida por Gabriela Figueiredo Dias revelou também que, no quarto trimestre de 2020, “foi decidido um processo em tribunal relativo à violação de deveres relativos à atividade dos organismos de investimento coletivo”, sendo que no final do ano passado “encontravam-se dois processos pendentes de decisão nos tribunais”.
Comentários