Compra, Leasing ou Renting? As vantagens e desvantagens de cada solução

A LeasePlan promove um evento virtual no próximo dia 23 de junho onde vão ser exploradas as diferentes vantagens e desvantagens associadas a diversos modelos de aquisição de veículos. Saiba como assistir.

 

A crise pandémica provocada pelo SARS-Cov-2 destabilizou não só mercados e áreas de atividade, como alterou profundamente os hábitos e rotinas de milhões de pessoas. Com esta transformação em curso, alteram-se os paradigmas e o mercado ficou (ainda mais) incerto.

As questões de mobilidade, particularmente associadas aos veículos e às frotas das empresas, tornaram-se cada vez mais relevantes, em parte também pela crescente sensibilização para as questões ambientais.

É neste contexto de incerteza, marcado igualmente por uma crise económica que se continuará a fazer sentir, que a LeasePlan pretende olhar para as diversas soluções de aquisição de veículos e ajudar tanto as empresas como os particulares a perceber ao certo quais as vantagens e desvantagens que estão associadas a cada um dos modelos atuais: compra, leasing e renting.

Esta iniciativa é particularmente relevante numa altura em que o sector automóvel sente também as sequelas da crise pandémica. Segundo dados da ACAP/Autoinforma, a produção automóvel em Portugal registou uma quebra de 24% em 2020, face ao ano anterior. Por arrasto, foram vendidos menos 34% automóveis no território nacional. A tendência para 2021 mantém-se, para já no primeiro trimestre, com uma quebra de 44% face ao período homólogo de 2019.

Este cenário pinta um retrato das necessidades dos agentes económicos, que se viram obrigados a adiar os processos decisivos, mas também das intenções e necessidades dos consumidores. O contexto global limitou a oferta disponível, é certo, mas também permitiu aos consumidores repensarem as suas deslocações e induziu nos mesmos alguma apreensão quanto à compra de um veículo, que é sempre uma decisão de médio-longo prazo e que implica investimento.

Contudo, nota-se uma inversão das tendências de mercado até aqui. As questões de conforto, segurança e privacidade têm cada vez mais peso na mente dos consumidores, que desviam as atenções de outros modos de transporte (público, carsharing, etc).

É natural então que tanto particulares como empresas parem para se questionar: compro ou não compro?

A resposta não é tão binária como pode parecer. No final de contas, há vários caminhos para a mesma viagem – e nem todos temos o mesmo destino.

A compra de um veículo pode conferir ao seu proprietário total liberdade e autonomia no processo. Contudo, a gestão do ciclo de vida, desde o seguro ao pagamento de impostos e manutenção, fica também a cargo do proprietário. A desvalorização do veículo representa uma constante preocupação e há ainda uma red flag em todo o processo: a incerteza e imprevisibilidade de eventuais custos, reparações ou até mesmo acidentes.

O leasing automóvel também garante liberdade na escolha do modelo e também não salvaguarda a imprevisibilidade de eventuais custos de utilização. Contudo, as condições contratuais e de financiamento são ajustadas às necessidades do cliente que, pode inclusive, manter a opção de comprar o automóvel no termo do contrato.

Já o renting veio preencher um espaço no sector até aqui pouco abordado e que colmata alguns dos shortcomings de outras soluções: ao cliente basta escolher um veículo, pagar a renda calculada em função das suas necessidades e escolher um carro novo no fim do contrato. Todas as eventuais despesas e encargos associados com manutenção, impostos e outros estão a cargo da locadora do serviço. Contudo, não prevê a opção de comprar o veículo no fim do contrato.

São três modelos diferentes, mas válidos para consumidores também eles diferentes.

Se pretende perceber melhor como pode comparar financeiramente estes modelos ou descobrir qual representa menores custos mensais, não hesite em assistir ao evento digital da LeasePlan, no próximo dia 23 de junho, às 12h00. Inscreva-se aqui.

O panorama da utilização automóvel tem vindo a alterar-se nos últimos anos. Nem todos os consumidores pretendem investir na compra de um veículo, olhando cada vez mais para o Car-as-a-Service.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a LeasePlan.

Recomendadas

Chegou a hora da reestruturação?

A pandemia veio dificultar a vida de muitas empresas o que levou muitas destas a apostar na sua reestruturação para enfrentar as dificuldades. Será este o tema da JE editors Talks de dia 29 de Julho às 15h00.

A importância do consultor de Turnaround

É comum quando uma empresa entra num processo de recuperação/reestruturação, fazê-lo com a “prata da casa”, ou seja, sem recorrer a um consultor (ou equipa de consultores) especializados no turnaround empresarial.

Como monitorizar a economia americana?

Mesmo com a procura da economia americana a regressar mais rápido do que a oferta, é normal que a primeira influencie a segunda positivamente. Se isso acontecer e os salários reais não saírem afetados, é até possível que a tendência de crescimento das principais variáveis económicas acabe por ser, a médio-prazo, superior às taxas observadas antes da pandemia. Existem, no entanto, diversos fatores que podem afetar um desfecho risonho e que devem ser então monitorizados com a devida atenção.
Comentários