Conclusão de processos aumenta insolvências em 6,9% até final de julho

A conclusão de processos de insolvência está na origem do aumento de fecho de empresa em Portugal no acumulado do ano. A constituição de novas empresas cresceu 11,3% no mesmo período.

De acordo com a Iberinform, empresa que oferece soluções de gestão de clientes para as áreas financeiras e de marketing, 4.402 empresas apresentaram ações de insolvência nos primeiros sete meses do ano, o que representa um acréscimo de 6,9%, em termos homólogos. Só no passado mês cerca de 499 empresas entraram em insolvência. No entanto, este aumento deve-se ao encerramento de processos em curso, diz a empresa em comunicado desta quinta-feira, 9 de agosto.

Em plano oposto, no acumulado até julho de 2018, as declarações de insolvência e as apresentações à insolvência diminuíram, respectivamente, 6,1% e 4,4%, relativamente a 2017. A acompanhar esta tendência, também os encerramentos com plano de insolvência reduziram em 34,2% em igual período.

Entre os distritos com mais insolvências registadas no acumulado até julho de 2018, destacam-se Lisboa e o Porto, com 1.113 e 901 insolvências, respectivamente, traduzindo-se num aumento de 1,8% no primeiro caso de 21,4% no segundo. No conjunto, estes dois distritos representam 49,8% do total nacional.

Entre os setores de atividade, apenas três apresentam um decréscimo de insolvências face a 2017: telecomunicações (-33,3%), transportes (-7,2%) e hotelaria e restauração (-0,9%). Já os setores com aumentos mais significativos destacam-se a indústria extractiva (140%), eletricidade, gás, água (38,5%), agricultura, caça e pesca (19,6%), comércio a retalho e por grosso (9,3% e 12,9% respetivamente) e comércio de veículos (9,2%).

Constituições de empresas aumentam em 2018

No acumulado do ano de 2018 até julho, a constituição de novas empresas em Portugal aumentou 11,3%, em termos homólogos, tendo em julho sido constituídas 3.171 novas entidades empresariais, mais 112 empresas em comparação com julho de 2017.

O distrito de Lisboa, com 9.647 novas empresas constituídas, assim como o distrito do Porto, com 4.891 novas constituições, foram os distritos onde as empresas mais se constituíram. Os setores dos transportes, a indústria extractiva, construção e obras públicas foram os que mais cresceram, com incrementos de novas empresas de 55,9%, 33,3% e 22%, respectivamente.