Conflito diplomático: EUA exigem retirada do consulado russo de São Francisco

O Departamento de Estado norte-americano considera que a decisão da Rússia de reduzir o número de diplomatas norte-americanos em território russo em quase dois terços foi uma ação “injustificada e prejudicial” na missão dos Estados Unidos na Rússia.

Mike Segar/REUTERS

Os Estados Unidos deram ordem à Rússia esta quinta-feira para fechar o consulado em São Francisco, em resposta à redução do corpo diplomático norte-americano na Rússia decretado o mês passado pelo Kremlin. O encerramento do consulado e dos seus dois anexos em Washington e Nova York devem ser concluídos até sábado.

O Departamento de Estado norte-americano considera que a decisão do presidente russo, Vladimir Putin, em reduzir o número de diplomatas norte-americanos em território russo em quase dois terços foi uma ação “injustificada e prejudicial” na missão dos Estados Unidos na Rússia.

“Embora continue a haver uma disparidade no número de anexos diplomáticos e consulares, optamos por permitir que o Governo russo mantenha alguns deles num esforço para parar a rota de colisão no relacionamento”, afirmou o Departamento de Estado norte-americano. “O nosso objetivo é evitar novas ações de retaliação e melhorar as nossas relações, passando a cooperar em áreas de interesse mútuo”.

A decisão russa de cortar no corpo diplomático norte-americano a atuar no país surgiu no seguimento do pacote de sanções que os Estados Unidos aprovaram contra o país, pela ingerência nas eleições norte-americanas de 8 de novembro e por violações dos direitos humanos na Síria. Em relação às sanções, o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, considerou que estas se tratavam de “uma declaração de guerra comercial”.

Recomendadas

China cancela negociações comerciais e não vai deslocar-se até Washington

Pequim tinha preparado uma delegação para se deslocar à capital dos EUA na próxima semana, revelaram fontes próximas à “Bloomberg. O “Wall Street Journal” também já havia dado conta que a China tinha posto de lado a ideia de enviar o vice-primeiro-ministro Liu He, integrado na delegação.

EUA denunciam repressão de Pequim contra minoria muçulmana

Os Estados Unidos denunciaram esta sexta-feira o tratamento por parte de Pequim em relação à minoria étnica chinesa de origem muçulmana uigure, que sofrem de detenções arbitrárias, tortura ou vigilância permanente, na região de Xinjiang.

Hong Kong inaugura nova linha ferroviária de alta velocidade para o interior da China

Hong Kong inaugurou este sábado uma nova linha ferroviária de alta velocidade para o interior da China, que irá reduzir consideravelmente o tempo de viagem entre os dois territórios, sendo que parte da estação fica sob jurisdição chinesa.
Comentários