Conforme esperado, Fed sobe taxas de juro

A decisão sobre o novo aumento, entre 1,75% e 2%, foi anunciada esta quarta-feira pela Reserva Federal norte-americana, após a reunião de dois dias que arrancou ontem.

A Fed subiu as taxas de juros de referência em um quarto de ponto percentual, seguindo a expectativas dos analistas. A decisão do aumento [1,75% – 2%] foi anunciada esta quarta-feira, dia 13 de junho, pela Reserva Federal norte-americana. O banco central dos Estados Unidos da América publicou esta tarde o mais recente relatório da reunião de política monetária onde salienta que o mercado de trabalho continua a fortalecer-se e a atividade económica vem tem subindo de forma sólida.

“Tendo em vista as condições de mercado de trabalho concretizadas e esperadas e a inflação, o Comité decidiu subir o intervalo dos limites para a federal funds rate para 1-3 / 4 a 2%. A postura da política monetária permanece cooperadora, apoiando, assim, as fortes condições do mercado de trabalho e uma taxa de retorno à inflação de 2%”, explica a instituição liderada por Jerome Powell, em comunicado.

“Os ganhos de emprego têm sido fortes, em média, nos últimos meses, e a taxa de desemprego diminuiu (…). Numa base de 12 meses, tanto a inflação global como a inflação de elementos além dos alimentos e energia aproximaram-se dos 2%”, argumenta a Fed, acrescentando que “os indicadores das expectativas de inflação a longo prazo estão pouco alterados”.

A instituição financeira antecipa que “aumentos graduais” futuros na taxa de juros de referência serão “consistentes com a expansão sustentada da atividade económica, condições fortes do mercado de trabalho e inflação próxima ao objetivo simétrico de 2%”.

Segundo a Fed, os riscos das perspectivas económicas “parecem mais ou menos equilibrados”. A Reserva Federal conclui o comunicado lembrando o “timing e a dimensão de ajustes futuros” nos juros de referência terão como base uma avaliação das condições económicas no momento e as expectativas face “objetivo máximo de emprego” e de inflação a 2%.

Quase certo: a Fed deve subir os juros agora. A dúvida: serão três ou quatro aumentos em 2018?

Notícia atualizada às 19h19

Ler mais
Relacionadas

Wall Street abre em alta à espera do desfecho da reunião da Fed

Os investidores aguardam com grande expectativa a reunião da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), em que se prevê que seja anunciado um novo aumento das taxas de juro norte-americanas.

Quase certo: a Fed deve subir os juros agora. A dúvida: serão três ou quatro aumentos em 2018?

A Reserva Federal inicia esta terça-feira uma reunião de dois dias e a decisão principal é consensual entre os analistas – um segundo aumento das taxas de juro este ano. A grande questão em relação ao banco central é se, no total, irá fazer três ou quatro subidas em 2018.
Recomendadas

Itália propõe baixar défice público para 2,04% do PIB em 2019

Giuseppe Conte, chefe da coligação populista no poder em Roma, formulou esta proposta durante um encontro na capital belga com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker.

Euro sobe na véspera de reunião do Banco Central Europeu

Às 18:00 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1381 dólares, quando na terça-feira ao final da tarde seguia a 1,1315 dólares.

Nestlé retirou 2.750 toneladas de açúcar da alimentação dos portugueses

Entre 2013 e 2017, a Nestlé retirou da alimentação dos portugueses 687 milhões de colheres de chá de açúcar, o equivalente a 11.000 milhões de calorias.
Comentários