“Conhecimento em biomédica não é monetizado em startups”, alerta aceleradora global

A Building Global Innovators lembra que a iniciativa “BioAll”, que envolve Portugal, Itália e Espanha, está a tentar contrariar essa tendência e irá receber candidaturas de empresas no início do próximo ano.

“Portugal, Espanha e Itália têm algo em comum, e não estamos a falar do surto de Covid-19. Mas do facto de que, mesmo que sejam países com muito talento, quando o assunto é investigadores da biomédica, não monetizam esse conhecimento numa startup”. É desta forma que a aceleradora internacional Building Global Innovators (BGI) alerta para a falta de aposta em spin-offs na área da saúde, empresa de elevada importância numas situação pandémica como aquela que se vive no mundo.

Segundo um estudo publicado no “Economics of Innovation and New Technology Journal”, a investigação universitária contribui substancialmente para a criação de emprego, mas só 7% das startups manteve uma aliança académica. A nível nacional, a questão também se coloca, porque os serviços de saúde são a terceira área na qual nascem mais startups, mas por cada euro investido nestas empresas a receita obtida é de apenas 0,124 euros, de acordo com o “Portugal Outlook 2019” da BGI.

Para ajudar a resolver este problema, surgiu a iniciativa europeia BioAll, que une 13 parceiros de Portugal, Espanha e Itália na meta de criar bases para fazer um plano estratégico e de promoção do crescimento nas startups de biohealth. O projeto, financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Erasmus + e coordenado pela Universidade da Beira Interior (UBI), prevê a organização de um programa de pós-graduação para investigadores ainda este ano e uma rampa de lançamento para empreendedores em 2021.

As startups, que terão de criar protótipos, poderão começar a inscrever-se no início do próximo ano, sendo que haverá 15 seed-stage vencedoras (cinco de cada país). Segundo a BGI, estas empresas “farão parte de um extenso programa de aceleração, incluindo kick of day, uma semana imersiva de formação em empreendedorismo na área de biohealth, incubação física, um programa de orientação exclusivo com um mentor formado e workshops que atendam às suas necessidades”.

Recomendadas

Efacec vai para lay-off durante 30 dias a partir de 6 de abril

A empresa diz que o lay-off será aplicado “transversalmente a todos os níveis da organização”, tanto na modalidade de suspensão de contrato, como da redução temporária do horário de trabalho.

Serão os jogadores a pagar a crise no futebol português? Amanhã há ‘Jogo Económico

Numa crise sem precedentes, alguns dos clubes mais poderosos do mundo já anunciaram cortes significativos nos salários. Como será em Portugal? Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol, é o convidado do programa ‘Jogo Económico’ que vai para o ar esta sexta-feira.

Parlamento quer ouvir Miguel Frasquilho sobre lay-off da TAP a 14 de abril

Assembleia da República aprovou por unanimidade a proposta do Bloco de Esquerda para ouvir, “com carácter de urgência”, o presidente do Conselho de Administração da TAP sobre a situação atual da empresa e a política laboral e comercial.
Comentários