Conselho de administração da Tesla investiga plano de financiamento de Musk

Elon Musk está a considerar fechar o capital da Tesla, uma ideia que provocou diversas reações em Wall Street e que leva, agora, o conselho de adminitração da fabricante de veículos elétricos e autónomos a investigar o plano de financiamento do empresário.

REUTERS / Rashid Umar Abbasi

O conselho de administração da fabricante Tesla está a investigar o plano de financiamento proposto pelo presidente executivo Elon Musk, divulgada na terça-feira e avaliado em 72 mil milhões de dólares, uma vez que os gestores dizem não ter recebido qualquer informação detalhada, noticia a “Reuters” esta sexta-feira.

A origem do financiamento não é conhecida e a Tesla ainda não emitiu qualquer comunicado sobre o assunto.

Na terça-feira, a 7 de agosto, Elon Musk surpreendeu quando afirmou na sua conta Twitter que estava a considerar fechar o capital da empresa ao público e, assim, retirar a Tesla de Wall Street – nos Estados Unidos, todas as empresas listadas em bolsa são consideradas públicas, ou seja, qualquer pessoa pode investir no capital da empresa, assim a proposta de Musk é vedar esse tipo de investimento.

O engenheiro de 47 anos de idade há muito que está em “guerra” com os investidores da empresa, uma vez que a fabricante pioneira em veículos eléctricos autónomos é vista com desconfiança por analistas de mercado, sobretudo no que toda ao lucro que a Tesla poderá ter e se produz veículos suficientes, em massa, para atender à demanda.

No Twitter, Elon Musk diz a apenas que conseguiu financiamento para o acordo, mas não deu quaisquer detalhes publicamente.

A afirmação provocou agitação no mercado norte-americano, sobretudo pelo facto de os títulos da empresa serem já classificados como “lixo” por agências de rating de crédito.

A Securities Exchange Comission (Comissão de Valores Mobiliários norte-americana) já questionou a empresa sobre a afirmação de Elon Musk, que disse ter o capital necessário “assegurado” para fechar o capital empresa.

Musk apenas revelou que pretende 420 dólares por acção para reunir a quantia necessária de financiamento.

De acordo com a “Reuters”, o conselho de administração da Tesla poderá tomar brevemente a decisão de revê formalmente a proposta de Musk. Fontes próximas do processo adiantaram à agência noticiosa que os administradores da fabricante já estão em conversações com banqueiros e consultores financeiros a fim de obter assessoria para o processo.

Ainda não é certo que Musk já tenha divulgado, na integra, o seu plano de financiamento aos restantes gestores da Tesla, mas no caso destes pedirem uma revisão formal da proposta publicitada, Musk terá de se escusar a participar no conselho de administração e, segundo a “Reuters”, um comité especial teria de ser formado dadas as questões de confidencialidade inerentes ao processo e independência.

Tesla fora da bolsa

Ao fechar o capital da Tesla e, dessa forma, torná-la privada, Elon Musk – escreve a “Reuters” – veria a pressão de hedge funds sobre a empresa aliviada, devido aos problemas liquidez bem como à performance da empresa em Wall Street, sobretudo após a divulgação dos resultados trimestrais.

Em Wall Street há já oito anos, a Tesla está a braços com a concorrência das fabricantes europeias que intensificam a corrida por novos carros eléctricos e autónomos.

Entretanto, a empresa de Musk enfrenta uma série de desafios de produção que colocam a capacidade da fabricante gerar lucro em causa.

Enquanto isso, a Tesla já anunciou planos para construir a sua primeira fábrica fora dos EUA, nomeadamente em Xangai, na China. Outra unidade está a ser discutida para a Europa, sendo a Alemanha e Holanda os países melhor colocados para receber a Tesla, embora os detalhes sejam escassos e o financiamento é desconhecido.