Construção representa 315,6 milhões de euros para a economia da Madeira o valor mais baixo dos últimos 10 anos

A quebra deveu-se à descida nos trabalhos de engenharia civil que chegou aos 22,3%.

A construção representou 315,6 milhões de euros para a economia da Madeira, em 2016, mas apresentou uma quebra de 3,6%, face ao período homólogo, diz a Direção Regional de Estatística (DREM). Este é o valor mais baixo registado pelo setor nos últimos 10 anos.

A justificação para esta quebra prende-se, diz a DREM, com a descida de nos trabalhos realizados em obras de engenharia civil, na ordem dos 22,3%, apesar do aumento nos trabalhos em edifícios de 38,5%.

O organismo de estatística regional diz as empresas com 20 ou mais trabalhadores, caíram 10,7%, mas foram responsáveis por 71,6% das obras realizadas.

Com um grande peso, nestas empresas, estiveram as obras de engenharia civil, que chegaram aos 69,7%, o que representou uma faturação de 157,8 milhões de euros, um valor que caiu 22,8%.

Recomendadas

O que fazer quando um crédito “desaparece” da Central de Responsabilidades

No caso de o crédito “desaparecer” da CRC não significa que a dívida deixou de existir, sendo que o consumidor mantém a sua responsabilidade perante a obrigação. Esta situação poderá ocorrer aquando da cessão de crédito (venda da dívida a terceiros), a favor de uma entidade fora do sistema financeiro, pelo que esta passa a assumir a posição de credor.

PSD quer zona franca e registo de navios incluídos em estratégia atlântica

O deputado do PSD, Paulo Neves, afirmou que o Centro Internacional de Negócios (CINM) e o Registo de Navios (MAR) são de enorme importância para o país, e por isso deveriam ser prioritários para o Governo da República.

Cafôfo defende criação de rede para apoiar crianças que saem das instituições

Paulo Cafôfo considera necessário criar redes com equipas multidisciplinares, que façam a reabilitação da família e que deem o suporte que os jovens necessitam.
Comentários