Contra-ataque chinês acelera aposta na tecnologia

Após os sistemas de pagamento, o futuro da tecnologia chinesa reside no retalho alimentar online. Até 2020, poderá valer 178 mil milhões de dólares.

Na guerra comercial entre os EUA_e a China, a tecnologia é um dos principais alvos na mira de Donald Trump. No entanto, o gigante asiático poderá aproveitar o momento para desenvolver ainda mais o mercado interno. Os sistemas de pagamento lideram a inovação e o retalho é próxima aposta.

“Donald Trump está a atuar de forma unilateral e não pelas regras da Organização Mundial de Comércio. Se quiser realmente atacar a China, pode não se focar no país per si, mas estabelecer uma guerra contra a Tencent ou a Alibaba”, afirmou Neil Dwane, estrategista global da Allianz Global Investors, numa conferência da gestora de ativos sobre mercados asiáticos, em Berlim.

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.