Contrato-Emprego quer criar 15 mil postos de trabalho com 60 milhões de euros

Programa Nacional de Reformas é uma nova medida de apoio ao emprego Contrato-Emprego. Estão previstos concursos para apoio à criação de 15 mil postos de trabalho este ano, com uma dotação de 60 milhões de euros.

O objetivo é abranger 600 mil desempregados de longa duração com as políticas ativas de emprego em curso.

“Sublinhe-se que este conjunto de medidas associa-se a um conjunto de metas para o horizonte 2020, designadamente as que se associam, por um lado, à garantia de que 75% dos apoios à contratação são direcionados para contratos sem termo e de que 70% dos abrangidos por políticas ativas do mercado de trabalho são desempregados de longa duração”, diz o Programa Nacional de Reformas (PNR), a que a agência Lusa teve acesso.

O Governo quer concretizar este ano e nos próximos um conjunto de intervenções no plano da regulação laboral “para reduzir os níveis de segmentação e melhorar o combate à precariedade, questões que considera prioritárias para fomentar o emprego e a competitividade”, a par da reorientação das políticas ativas de emprego.

Já foi reforçada a capacidade inspetiva da Autoridade para as Condições do Trabalho, com a entrada de 80 inspetores do trabalho.

 

Recomendadas

Governo também vai baixar duração máxima dos contratos a prazo no Estado para dois anos

“O Governo assume desde já o compromisso, como empregador, de emitir uma orientação a todos os serviços para respeitarem os tempos que estão previstos no Código do Trabalho”, disse o ministro do Trabalho.

Número de turistas no Algarve cresceu 9,3% no primeiro semestre de 2019

A Algarve recebeu, entre janeiro e junho, mais 9,3% de hóspedes do que no mesmo período de 2018, o que representa mais 3,3% de dormidas e um aumento de 7,9% nos proveitos totais, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

Primeiro-ministro de Itália demite-se

Giuseppe Conte arrasou o ‘seu’ ministro do Interior, Matteo Conte, a quem acusou de ter um projeto pessoal que não passa necessariamente por aquilo que são as prioridades do país.
Comentários