“Coreia do Norte pretende abolir todo o armamento nuclear”, garante Seul

O presidente sul-coreano deu conta da intenção de Kim Jong Un durante uma entrevista à “BBC”, destacando a vontade do líder norte-coreano em abandonar os programas nucleares e mísseis.

Ahn Young-joon/REUTERS

O presidente da Coreia do Norte Kim Jong Un “pretende abolir todas armas nucleares, materiais e instalações para conseguir a desnuclearização completa”, revelou o presidente sul-coreano Moon Jae-in, em entrevista à “BBC”, depois de já ter estado reunido numa terceira cimeira com Kim Jong Un no passado mês de setembro.

Kim Jong-Un e o presidente dos EUA, Donald Trump, prometeram trabalhar para a desnuclearização durante a cimeira realizada em junho em Singapura, embora não tenham revelado muitos pormenores sobre esse acordo. Desde então, as negociações pouco ou nada evoluíram com a Coreia do Norte a recusar-se a declarar as suas armas e instalações nucleares ou concordar com um cronograma concreto.

Nesta entrevista, Moon Jae in destacou a determinação de Kim Jong Un de abandonar os programas nucleares e mísseis. “Pela completa desnuclearização, ele [Kim Jong Un] pretendia começar com os testes nucleares e de mísseis adicionais, e então abolir as instalações que produzem as armas nucleares e desenvolver os mísseis e todas as armas e materiais nucleares existentes”, referiu o líder da Coreia do Sul.

Donald Trump afirmou na última terça-feira, 9 de outubro, que a segunda cimeira com Kim Jong Un será realizada após as eleições marcadas para 6 de novembro. Ainda não são claras as medidas que os Estados Unidos pretendem tomar para a desnuclearização “da península coreana”.

Relacionadas

Líder norte-coreano pede visita do papa Francisco a Pyongyang

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, vai pedir, através do presidente sul-coreano, ao papa Francisco que visite Pyongyang, informou hoje um porta-voz oficial da Coreia do Sul.

Coreia do Sul pondera suspender algumas sanções contra Pyongyang

O ministro Kang Kyung-wha disse esta quarta-feira deputados do parlamento que o Governo está “a rever” se vai suspender algumas das sanções.
Recomendadas

Canadá considera que explicações da Arábia Saudita sobre o jornalista saudita Khashoggi não são credíveis

“As explicações dadas até agora não são consistentes ou confiáveis”, disse a ministra dos Negócios Estrangeiros do Canadá, Chrystia Freeland.

Nicolás Maduro pede a Donald Trump para abrir fronteira a milhares de migrantes

O presidente da Venezuela pediu ao seu homólogo norte-americano que abra as fronteiras para receber os milhares de migrantes que estão na fronteira entre a Guatemala e o México, rumo aos Estados Unidos.

Israel ordena reabertura de entradas para Gaza

“A decisão segue a mitigação dos eventos violentos em Gaza no fim de semana e os esforços feitos pelo Hamas para conter os manifestantes”, informou o Ministério da Defesa israelita, em comunicado.
Comentários