“Coreia do Norte pretende abolir todo o armamento nuclear”, garante Seul

O presidente sul-coreano deu conta da intenção de Kim Jong Un durante uma entrevista à “BBC”, destacando a vontade do líder norte-coreano em abandonar os programas nucleares e mísseis.

Ahn Young-joon/REUTERS

O presidente da Coreia do Norte Kim Jong Un “pretende abolir todas armas nucleares, materiais e instalações para conseguir a desnuclearização completa”, revelou o presidente sul-coreano Moon Jae-in, em entrevista à “BBC”, depois de já ter estado reunido numa terceira cimeira com Kim Jong Un no passado mês de setembro.

Kim Jong-Un e o presidente dos EUA, Donald Trump, prometeram trabalhar para a desnuclearização durante a cimeira realizada em junho em Singapura, embora não tenham revelado muitos pormenores sobre esse acordo. Desde então, as negociações pouco ou nada evoluíram com a Coreia do Norte a recusar-se a declarar as suas armas e instalações nucleares ou concordar com um cronograma concreto.

Nesta entrevista, Moon Jae in destacou a determinação de Kim Jong Un de abandonar os programas nucleares e mísseis. “Pela completa desnuclearização, ele [Kim Jong Un] pretendia começar com os testes nucleares e de mísseis adicionais, e então abolir as instalações que produzem as armas nucleares e desenvolver os mísseis e todas as armas e materiais nucleares existentes”, referiu o líder da Coreia do Sul.

Donald Trump afirmou na última terça-feira, 9 de outubro, que a segunda cimeira com Kim Jong Un será realizada após as eleições marcadas para 6 de novembro. Ainda não são claras as medidas que os Estados Unidos pretendem tomar para a desnuclearização “da península coreana”.

Relacionadas

Líder norte-coreano pede visita do papa Francisco a Pyongyang

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, vai pedir, através do presidente sul-coreano, ao papa Francisco que visite Pyongyang, informou hoje um porta-voz oficial da Coreia do Sul.

Coreia do Sul pondera suspender algumas sanções contra Pyongyang

O ministro Kang Kyung-wha disse esta quarta-feira deputados do parlamento que o Governo está “a rever” se vai suspender algumas das sanções.
Recomendadas

António Costa diz que só “iluminação divina” justificaria renegociação do Brexit

“Renegociar o quê? Tudo aquilo que tenho visto como críticas, aliás contraditórias, ao tratado, são pontos que não é possível mais renegociar”, disse o primeiro-ministro.

Trump sobre a detenção de Michael Cohen: “Ele era advogado, é suposto saber a lei”

Trump desmente as declarações de Cohen e diz que o ex advogado assumiu culpa para “envergonhar o presidente e obter uma sentença de prisão muito reduzida”.

Angola produziu 1,521 milhões de barris de petróleo por dia em novembro

Angola enfrenta desde final de 2014 uma profunda crise económica, financeira e cambial decorrente da forte quebra nas receitas petrolíferas.
Comentários