Cortes de custos no Deutsche Bank chegam até à fruta dos funcionários

O banco alemão registou, em 2017, perdas de 497 milhões de euros o que corresponde a 63,3 por cento menos do que em 2016. O plano de corte de custos implica o despedimento de sete mil pessoas.

O novo diretor executivo do Deutsche Bank, Frank Kuhnke, está a aplicar profundas reduções nos custos do banco alemão, que já valeram a alcunha de Frank, the Tank (o tanque, em português), de acordo com a agência Bloomberg. No meio dos cortes, a fruta disponível gratuitamente para os funcionários foi vista com um gasto desnecessário.

Os banqueiros de investimento da maior instituição financeira da Aleamha irão passar a viajar em classe económica e poucos são autorizados a participar de conferências. Os responsáveis ​​pelas diferentes áreas do banco não podem exceder os orçamentos pré-estabelecidos sob nenhuma circunstância, segundo fontes do banco citadas pela agência.

Kuhnke reporta diretamente a Christian Sewing, CEO do Deutsche Bank, que terá dito aos executivos que, caso não demonstrem capacidades de controlar as despesas, não são fiáveis para aumentar os lucros do banco. A maior parte do plano de ajuste virá da demissão de 7.000 profissionais, dos quais cerca de 2.000 já saíram desde o início do ano.

O Deutsche Bank registou, em 2017, perdas de 497 milhões de euros o que corresponde a 63,3 por cento menos do que em 2016, devido à reforma fiscal da União Europeu. O maior banco da Alemanha sofreu perdas pelo terceiro ano consecutivo, com números negativos da ordem dos 1.350 milhões de euros em 2016 e de quase 6.800 milhões de euros em 2015.

Antes da aplicação dos impostos, em 2017, o banco conseguiu 1.289 milhões de euros em relação às perdas de 810 milhões do ano anterior.

Relacionadas

Deutsche Bank vai aportar capital à banca de investimento

O Chief Executive Christian Sewing disse numa conferência de analistas, citado pela Reuters, que o banco iria reconstruir o seu pipeline em negócios de renda fixa e moedas (FIC). “Temos capital disponível”, disse.

Deutsche Bank estará a estudar fusão com o Commerzbank

Paul Achleitner, presidente do conselho de supervisão do banco alemão, terá discutido o acordo entre os dois credores com investidores e importantes autoridades do governo alemão nos últimos meses.

Fed classifica Deutsche Bank como banco “problemático”

As ações do banco alemão afundaram mais de 7%, para o valor de fecho mais baixo desde 1991, após a notícia de que as operações nos EUA estavam em “condições problemáticas”.
Recomendadas

BCE aprova administradores do Banco Santander Totta

“Com esta decisão, a totalidade dos membros propostos para o Conselho de Administração e a respetiva Comissão Executiva entra de imediato em funções plenas”, diz o banco agora liderado por Pedro Castro e Almeida.

CEO diz que Novo Banco precisará de mais capital público mas não adianta valor

“Estavam previstas as injeções de capital e essas injeções de capital terão lugar, criar uma expectativa errada sobre o tema é um erro, devemos ser claros”, disse António Ramalho aos jornalistas, à margem do Fórum Capitalizar, organizado em Lisboa pelo Jornal Económico e Novo Banco.

Montepio reduz emissão de obrigações subordinadas para 50 milhões e coloca no acionista

Banco Montepio equacionou colocação de 250 milhões de euros em obrigações subordinadas. Mas, condições de mercado desfavoráveis levaram o banco a desistir.
Comentários