Costa: Governo devolveu “confiança às pessoas e aos agentes económicos”

O secretário-geral do PS, lembrou em Berlim, que quando chegou ao Governo, com uma solução apoiada pela esquerda, muitos disseram que isso iria levar à irresponsabilidade orçamental. “O que fizemos foi apresentar uma alternativa à austeridade, reforçou o socialista.

Reuters

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou, em Berlim, que o Governo “devolveu confiança às pessoas e aos agentes económicos”, referindo ainda que o executivo, apoiado pelas conseguiu apresentar “uma alternativa” às austeridade.

António Costa participou num debate promovido pelo Partido Social Democrata Alemão (SPD), e relembrou os acordos com PCP, BE e PEV, que formaram uma solução política inédita.

“Há três anos, quando chegámos ao governo com o compromisso de virar a página da austeridade, muitos disseram que isso nos conduziria à irresponsabilidade orçamental. O que fizemos foi apresentar uma alternativa à austeridade, que devolveu a confiança às pessoas e aos agentes económicos”, realçou o secretário-geral do PS numa sala completamente cheia.

“O crescimento aumentou – em 2017 tivemos o maior crescimento do PIB deste século – 2,8% – e pela primeira vez desde a adesão ao Euro voltámos a convergir com a União Europeia. O investimento privado aumentou 9%, as exportações aumentaram 8%, o desemprego baixou para 6,8% e reduzimos o défice de 3,1% (2015) para 0,7%, o valor mais baixo da história da nossa democracia. E é esse o caminho que vamos seguir, com saldos primários positivos que nos têm permitido reduzir o elevado endividamento que herdámos”, enfatizou António Costa, num discurso proferido em inglês, mas com algumas palavras em alemão.

Nesta iniciativa de dois dias, levada a cabo pelo SPD, António Costa salientou ainda que o governo provou que “esta combinação virtuosa entre crescimento económico e criação de emprego é essencial” para a obtenção de “contas públicas saudáveis”.

“Metade do défice foi reduzido graças à redução do que pagávamos em subsídios de desemprego e ao aumento das contribuições para a Segurança Social dos novos empregados”, justificou António Costa.

“É graças à redução do défice e da dívida que temos conseguido reduzir o diferencial de financiamento que permite às empresas portuguesas investir, aumentar a sua competitividade, tornando-se mais inovadoras e criando mais e melhores empregos”, salientou o secretário-geral do PS.

António Costa aproveitou a oportunidade para agradecer a confiança das empresas alemãs que investem em Portugal.

“A Alemanha é o maior investidor industrial em Portugal. Só nesta última semana duas grandes empresas alemãs, a Siemens e a Volkswagen, anunciaram novos investimentos em Portugal e para emprego altamente qualificado, nas áreas da digitalização e do desenvolvimento de software”, adiantou o líder do Partido Socialista.

“Mas, o mais importante”, prosseguiu António Costa, foi devolver aos cidadãos “a confiança nas instituições democráticas e a sua crença na União Europeia”.

“O nível de satisfação dos Portugueses com as instituições democráticas aumentou de 15%, há cinco anos, para 70% atualmente.”

O que significa que a melhor forma de combater o populismo é garantir que há sempre uma alternativa democrática, que apresente resultados”, rematou o secretário-geral socialista.

Ler mais
Relacionadas

António Costa: Web Summit é montra mundial para ‘startups’ nacionais e banco de ideias para o Estado

No final de uma visita de cerca de duas horas, o primeiro-ministro dialogou com jovens empreendedores de vários pontos do país.

Governo responde a Bruxelas: “Vale a pena comparar previsões com resultados”

O primeiro-ministro utilizou a rede social Twitter comparando as previsões de Bruxelas, com os resultados do Governo português.
Recomendadas

Segurança do cofre do Banco de Portugal pode estar em risco. Militares não recebem há quase 7 meses

Este serviço de segurança é pago pelo próprio Banco de Portugal ao Ministério da Administração Interna que tutela a GNR. “O banco não é o problema, a GNR não é o problema”, assumiu um militar à Record TV Europa.

Isabel Estrada ocupa lugar no Parlamento Europeu na bancada socialista

A professora universitária e investigadora Isabel Estrada Carvalhais, que ocupa o primeiro lugar na lista dos não eleitos socialistas nas europeias, entra para o Parlamento Europeu após a morte André Bradforf.

Terceira ponte sobre o Tejo volta a ser discutida 10 anos depois

A ponte anunciada por José Sócrates acabou por ser cancelada em 2010. Os custos foram então estimados entre 1,7 mil milhões e 1,9 mil milhões.
Comentários