Crédito y Caución prevê uma contração de -0,6% no crescimento do comércio mundial em 2019

A Crédito y Caución prevê uma contração de -0,6% no crescimento do comércio mundial em 2019, com uma recuperação modesta de 1,5% em 2020. A guerra comercial EUA/China é o principal motivo apontado pela companhia de seguros de crédito.

A guerra comercial leva crescimento do comércio mundial para terreno negativo, diz a Crédito y Caución que prevê uma contração de -0,6% no crescimento do comércio mundial em 2019, com uma recuperação modesta de 1,5% em 2020.

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China é a principal causa da desaceleração do crescimento económico, refere a análise da companhia de seguros de crédito . “Os problemas de outras grandes economias emergentes, os efeitos indiretos da crise alemã na indústria automobilística e a estagnação das economias europeias motivada pelo Brexit também estão a contribuir para a desaceleração”, refere a companhia.

A seguradora concluiu que a disputa entre os Estados Unidos e a China está a afetar diretamente quase 4% do comércio mundial, o que corresponde a cerca de 700 mil milhões de dólares. Ainda mais importantes são os efeitos indiretos que se estão a sentir em todo o mundo. A incerteza criada afeta em grande medida o investimento das empresas o que, por sua vez, influencia negativamente as cadeias de valor e os fluxos comerciais.

A Crédito y Caución refere que, apesar do contexto de incertezas e alterações, “as famílias continuam a consumir e o desemprego permanece sob controlo, com uma inflação teimosamente baixa, uma política monetária mais flexível e mercados de trabalho mais ajustados que favorecem o aumento do emprego e dos salários, as perspetivas dos consumidores permanecem positivas no curto prazo”.

No entanto, advertem, “dado que o consumidor é o único pilar que apoia o crescimento económico, qualquer abalo na confiança das famílias pode desestabilizar a economia e reverter as expectativas de crescimento em 2020”.

“A guerra comercial está a afetar profundamente o comércio mundial. Se se expandir para outras economias da Ásia e da Europa, o que é muito provável, poderemos ver uma desaceleração ainda mais acentuada no comércio. A incerteza criada por este e outros eventos económicos e políticos em todo o mundo são um verdadeiro desafio para o crescimento económico. Embora não antecipemos uma recessão global nesta fase, as nossas perspetivas são muito fracas e há um risco elevado de desaceleração “, refere o economista-chefe da Atradius NV, John Lorié.

Ler mais

Recomendadas

Tribunal de Contas acusa ministério de Centeno de falta de liderança na reforma das Finanças Públicas

O Tribunal de Contas alerta que quatro projetos que deveriam ter sido concluídos no primeiro semestre de 2019 não foram ainda iniciados no âmbito da implementação da Lei de Enquadramento Orçamental. Recomenda mais meios, assim como estabelecer melhor hierarquia nas prioridades dos projetos.

Confederações patronais querem alargar a mais PME taxa reduzida de IRC

Atualmente beneficiam desta taxa reduzida de IRC as empresas com matéria coletável até 15 mil euros e as duas confederações vão propor que esse limite suba para os 50 mil euros já no Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

COP25: CEDEAO quer mobilizar 80 milhões para agricultura climaticamente sustentável

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) quer mobilizar, na COP25, em Madrid, 80 milhões de dólares em fundos para o seu mecanismo de financiamento a projetos de agricultura climaticamente sustentáveis.
Comentários