Crescimento da construção volta a acelerar em junho, para 4%

A evolução dos índices dos dois segmentos que integram o Índice de Produção na Construção acelerou, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

O crescimento homólogo da produção no sector da construção em Portugal acelerou 0,6 pontos percentuais em junho, face a maio, para 4%, o ritmo mais alto em, pelo menos, um ano, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta sexta-feira, 10 de agosto.

A evolução dos índices dos dois segmentos que integram o Índice de Produção na Construção acelerou. O passo da expansão da Construção de Edifícios passou de uma variação homóloga de 3,5% em maio, para 3,8% em junho. Este segmento “apresentou o maior contributo, 2,3 pontos percentuais, para o índice total”, refere o INE.

A Engenharia Civil cresceu 4,3% em junho, uma taxa 0,5 pontos percentuais mais alta que a verificada em maio.

Remunerações duplicam taxa

O índice de emprego no sector da construção registou uma taxa de variação homóloga de 2,6%, traduzindo um abrandamento de 0,2 pontos percentuais face a maio.

Face ao mês anterior, o índice de emprego registou uma variação de 0,3%, traduzindo, mais uma vez, um abrandamento de duas décimas face ao valor do mês precedente.

Já a taxa de crescimento homóloga do índice das remunerações efetivamente pagas duplicou em junho, face a maio, para 6,6%.

Em termos mensais, comparativamente com maio, o índice das remunerações aumentou 9,9%, revelando uma aceleração de 3,4 pontos percentuais.

Ler mais
Relacionadas

Conclusão de processos aumenta insolvências em 6,9% até final de julho

A conclusão de processos de insolvência está na origem do aumento de fecho de empresa em Portugal no acumulado do ano. A constituição de novas empresas cresceu 11,3% no mesmo período.

Construir uma casa nova ficou 1,6% mais caro devido ao preço dos materiais

O Centro (1,7%) e o Norte (2%) foram as regiões que apresentaram subidas homólogas superiores à média do Continente. Por outro lado, o Alentejo e Algarve registaram descidas face aos preços do ano passado.
Recomendadas

Investimento de 50 milhões vai permitir ao Alqueva ter o maior projeto fotovoltaico flutuante da Europa

Esta foi a solução encontrada pela Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) para fazer face aos custos elevados que a EDP cobra pelo fornecimento de energia às centrais hidroelétricas de Alqueva e Pedrógão.

Moody’s: Portugal com economia em risco a partir de 2030 devido ao envelhecimento da população

Para contrariar os riscos de recessão económico, a agência defende que devem ser tomadas medidas que aumentem o crescimento da produtividade ou que sustentem o crescimento económico.

Alunos deslocados têm de se registar todos os anos no portal do Fisco para deduzir a renda

A renda paga pelos alunos que estão a estudar a mais de 50 quilómetros de casa pode ser deduzida ao IRS, mas para tal é necessário que todos os anos o estudante comunique ao fisco que se encontra deslocado.
Comentários