Cristas considera que o OE2019 “dá com uma mão e tira com a outra”

À saída de uma reunião com a UGT, para preparar o debate e as propostas alternativas do partido sobre o orçamento, a líder do CDS-PP disse estar preocupada com as medidas relacionado com o IRS.

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, considerou esta terça-feira que Orçamento do Estado de 2019 “dá com uma mão e tira com a outra” por não atualizar as tabelas do IRS e penalizar as famílias.

“Vemos com muita preocupação o facto de não terem sido atualizados os escalões em linha com a inflação. Logo aí, temos um aumento dos impostos nas famílias portuguesas”, afirmou Assunção Cristas, no final de uma reunião com a direção da UGT, para preparar o debate e as propostas alternativas do partido sobre o orçamento.

Apesar de ter feito uma primeira leitura do documento, que “chegou muito tarde” ao parlamento, na segunda-feira à noite, a líder centrista admite que “é mais do mesmo” e “dá com uma mão e tira com a outra”.

Os escalões do IRS não vão sofrer qualquer atualização em 2019, segundo a proposta de Orçamento do Estado entregue segunda-feira no parlamento, o que poderá penalizar os contribuintes que venham a ter aumentos salariais.

Recomendadas

OE2019: PCP entrega 176 propostas de alteração com baixa do IVA também nas touradas

João Oliveira falava em conferência de imprensa, no parlamento, em Lisboa, acompanhando pelo vice-presidente da bancada do PCP António Filipe e dos deputados Paulo Sá e Duarte Alves, que explicaram algumas das propostas de alteração ao OE2019 que foram sendo apresentadas desde há duas semanas e até às 19:00 de hoje.

OE2019: PS propõe que se alargue à CGA alívio de penalizações por reforma antecipada

O PS anunciou hoje que vai apresentar uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2019 para alargar o regime de flexibilidade de acesso à reforma antecipada aos subscritores da Caixa Geral de Aposentações (CGA).

OE2019: PS propõe mais meio milhão de euros para a PJ

No aditamento, o grupo parlamentar do PS justifica que “a proposta de alteração visa reforçar a capacidade de investimento da PJ”, dando “o devido enquadramento à aposta no apetrechamento técnico e melhoria de recursos desta entidade”.
Comentários