Cristas diz que a aliança com PSD para a CML falhou porque Passos honrou um compromisso que tinha com Santana

“O PSD tinha um compromisso com Pedro Santana Lopes e queria honrá-lo até ao final do ano e nós não podíamos esperar até ao fim do ano”, explicou Assunção Cristas quando questionada pelos motivos da falta de apoio do PSD na corrida à Câmara.

Assunção Cristas disse numa entrevista à TSF/Diário de Notícias, que põe de lado a ideia de coligações com o PS, quer a nível nacional quer na Câmara de Lisboa. Assunção Cristas promete fazer oposição a Medina, e diz que lhe roubou a maioria a absoluta. “Passou de 11 para 8 vereadores”, lembrou, e concluiu que se afirmaram “como líderes da oposição”.

“O que nós queremos é uma alternativa de centro-direita”, e admite coligação com o PSD.

“O PSD tinha um compromisso com Pedro Santana Lopes e queria honrá-lo até ao final do ano e nós não podíamos esperar até ao fim do ano”, explicou Assunção Cristas quando questionada pelos motivos da falta de apoio do PSD na corrida à Câmara. Recusou-se a concluir que o resultado do CDS em Lisboa veio tornar claro que uma coligação autárquica com o PSD, negociada atempadamente, com uma longa pré-campanha, poderia ter deixado a direita com hipóteses de reconquistar a capital.

Assunção Cristas disse ainda que “estava muito focada nas autárquicas e Pedro Passos Coelho achava que haveria legislativas antes das autárquicas e isso muda, obviamente, o quadro das prioridades e o sentido de urgência em relação às coisas”.

 

Recomendadas

Santana quer Aliança entre “maiores partidos e aumentar “mercado eleitoral” do centro-direita

“Se tiver no mercado eleitoral, em vez de duas ofertas, três ofertas válidas, há condições para esse espaço político conseguir mais votos do que só com duas”, garantiu Pedro Santana Lopes.

Rui Rio diz que “não ficaria surpreendido” com a recondução de Joana Marques Vidal

Líder do PSD salienta que tem feito “um esforço muito grande não pela não politização, mas pela não partidarização” da nomeação para a Procuradoria-Geral da República.

Respostas Rápidas: O PSD propõe a privatização total do SNS?

A “Reforma Estrutural do SNS” apresentada pelo PSD aponta para o fornecimento de cuidados de saúde pelos setores público, privado e social, abrindo o caminho para o estabelecimento de mais Parcerias Público-Privadas.
Comentários