CTT compromete-se a analisar as recomendações da Anacom

A empresa reagiu à decisão da autoridade reguladora, e afirma que cumpre com as melhores práticas de medição de qualidade.

Os CTT já responderam, em comunicado oficial, à decisão da ANACOM de impor alterações ao sistema de medição dos indicadores de qualidade da instituição, afirmando que os CTT “são os primeiros e principais interessados numa medição correta, íntegra e fidedigna, tudo fazendo permanentemente para que o processo seja um dos contributos para as constantes iniciativas de melhoria contínua”.

Nesse quadro, e segundo o comunicado, “o sistema de medição de qualidade do serviço postal universal segue as melhores práticas de medição de qualidade do setor postal europeu, estando em conformidade com as normas emitidas neste âmbito pelo Comité Europeu de Normalização (CEN)”.

Os CTT recordam ainda que, nos termos da Lei, desde outubro de 2016 que a medição é feita por uma entidade externa, no caso a consultora Pw). De qualquer modo, “os CTT irão analisar com detalhe o sentido provável de decisão da ANACOM e as recomendações efetuadas sobre esta matéria”.

Os CTT – Correios de Portugal são o operador postal universal em Portugal, sendo líderes em correio e em distribuição de expresso e encomendas, desenvolvendo também atividades de serviços financeiros e sendo os únicos acionistas do Banco CTT. Operam também em expresso e encomendas em Espanha e em Moçambique.

Relacionadas

Anacom determina alterações ao sistema de medição dos indicadores de qualidade dos CTT

A auditoria concluiu que o cálculo dos valores dos indicadores de qualidade de serviço (IQS) foi efetuado de acordo com a metodologia definida e apenas se registaram erros no apuramento dos valores de dois.
Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários