CTT respondem à Anacom e garantem ter um posto em cada concelho

“Os CTT reafirmam que estão presentes em todos os concelhos do país”, indicam em comunicado”, especificando que “mantêm pelo menos um Ponto CTT (Loja ou posto de correio) em todos os concelhos do País”, lê-se em comunicado.

Os CTT – Correios de Portugal “tomaram conhecimento e vão analisar a recomendação da ANACOM”, de terem em cada concelho pelo menos uma estação de correios ou um posto, mas “reafirmam” que estão presentes em todos os municípios.

“Os CTT tomaram conhecimento e vão analisar a recomendação da ANACOM”, indicam os CTT em comunicado, depois de a Autoridade Nacional de Comunicações ter hoje dado um prazo de 20 dias úteis para o operador postal universal em Portugal apresentar uma proposta que permita a existência em cada concelho de pelo menos uma estação de correios ou um posto.

“Os CTT reafirmam que estão presentes em todos os concelhos do país”, indicam em comunicado”, especificando que “mantêm pelo menos um Ponto CTT (Loja ou posto de correio) em todos os concelhos do País”.

O operador postal universal em Portugal acrescenta que nos Pontos CTT “são prestados todos os serviços previstos no Contrato de Concessão, incluindo a entrega de objetos avisados, e ainda o pagamento de vales de prestações sociais e de faturas, muitas vezes em horários alargados e com conveniência adicional para as populações”.

Os CTT adiantam que “o documento hoje publicado pela ANACOM não contraria esta conclusão” e recordam que no final de dezembro dispunham de “2.383 Pontos CTT em todo o País, o que representa um aumento de 66 desde a privatização em finais de 2013”.

“A nível de objetivos de densidade da rede postal, os CTT consideram que cumprem todas as obrigações legais e contratuais a que estão vinculados”, indicam ainda os CTT, que estão contratualmente obrigados a disponibilizar, em cada concelho do País todos os serviços concessionados através de pelo menos um estabelecimento postal, seja uma Loja CTT ou um Posto de Correios, “o que se verifica em cada um de todos os 308 concelhos do nosso país”, asseguram.

A ANACOM – Autoridade Nacional de Comunicações indicou hoje que é “expectável” que o número de concelhos sem estações de correio suba para 48 no curto prazo, face aos 33 no final de 2018.

O regulador recordou, em comunicado, que, em 2018, os encerramentos de estações de correios pelos CTT “levaram a que tenham subido para 33 os concelhos em Portugal que já não têm estações de correios” e que, até 2017, e desde 2013, “apenas existiam dois concelhos sem estações de correios”.

O encerramento de lojas dos CTT tem motivado uma grande contestação de norte a sul do país.

Ler mais
Relacionadas

CTT com 48 concelhos sem estações no curto prazo, alerta Anacom

A Anacom recorda que, em 2018, os encerramentos de estações de correios pelos CTT “levaram a que tenham subido para 33 os concelhos em Portugal que já não têm estações de correios” e que, até 2017, e desde 2013, “apenas existiam dois concelhos sem estações de correios”.
Recomendadas

Fisco restitui coimas do ViaCTT

No regime anterior, um contribuinte que fosse obrigado a aderir à ViaCTT e não o fizesse atempadamente estaria sujeito ao pagamento de uma coima que poderia ir dos 50 aos 250 euros.

Correios garantem que não vão fechar estações em 2019

Após a Anacom ter questionado a qualidade do serviço dos CTT, a 10 de janeiro, estimando que até ao fim de 2019 a empresa deixaria de ter estações em 48 concelhos, os CTT garantiram ao Jornal Económico que não haverá mais encerramentos este ano. O regulador também fez observações quanto à densidade da rede dos CTT, pelo que a empresa garantiu “estar em todos os concelhos, com pelo menos um ponto CTT”.

Maiores grupos retalhistas mundiais presentes em Portugal são de origem alemã

De acordo com o estudo da consultora Deloitte, ‘Global Powers of Retailing 2019’, divulgado no final da semana passada, o Schwarz Group, que detém o Lidl, está colocado na 5ª posição na tabela dos maiores grupos retalhistas a nível global.
Comentários