Cuatrecasas assessora juridicamente a venda da GNB Vida à Global Bankers

A sociedade de advogados anunciou que está a assessorar juridicamente o Novo Banco na venda da GNB Vida à Global Bankers, uma operação com um valor de 190 milhões de euros, e que foi anunciada esta quarta-feira, dia 12 de Setembro.

Depois da Garrigues ter anunciado que está a assessorar a Global Bankers Insurance Group na aquisição da GNB Vida, foi a vez da Cuatrecasas anunciar que esteve envolvida como assessora jurídica do Novo Banco.

A sociedade de advogados anunciou que está a assessorar juridicamente a venda da GNB Vida à Global Bankers, uma operação com um valor de 190 milhões de euros, e que foi anunciada esta quarta-feira, dia 12 de Setembro.

Esta operação inclui ainda a celebração entre o Novo Banco e a GNB Vida de um contrato de distribuição de produtos de seguros vida em Portugal, por um período de 20 anos.

A Cuatrecasas mobilizou para esta operação “uma equipa interdisciplinar envolvendo designadamente as áreas de Bancário, Seguros, Societário e M&A”, explica a sociedade.

Da equipa de advogados que prestaram assessoria ao Novo Banco fizeram parte João Mattamouros Resende, Manuel Requicha Ferreira, Paulo Costa Martins, Ana Sofia Silva, Francisco Soares Machado, João von Funcke, Filipe Valentim Ramos e Miguel Lencastre Monteiro.

A GNB Seguros Vida, companhia de seguros do Novo Banco (ex-BES Vida), estava em processo de venda desde Agosto do ano passado. O processo tem sido gerido pelo Novo Banco e acompanhado pelo Fundo de Resolução.

A concretização da operação de compra e venda da GNB Vida encontra-se dependente da verificação de diversas condições, incluindo a obtenção das autorizações regulatórias necessárias

Ler mais
Recomendadas

Portugal pode “fortalecer mecanismo de acusação penal”, considera OCDE

No relatório sobre Portugal, a OCDE explica que a avaliação do nível de corrupção é difícil, uma vez que os indicadores existentes se baseiam principalmente em percepções. Recomenda ainda que Ministério Público deve “continuar a melhorar a capacidade” para combater a criminalidade económica e financeira.

Premium“Hoje as pessoas são jovens advogados até aos 45 anos”

Ana Rita Duarte Campos, presidente do Instituto de Apoio aos Jovens Advogados, teme que os recém-chegados à profissão, munidos de tecnologia, não vejam na advocacia um emprego apelativo e socialmente importante.

Câmara de Comércio Internacional debate conflitos de interesses em Lisboa

Maria José Morgado, procuradora do Supremo Tribunal de Justiça, é uma das oradoras no evento que se realiza na quinta-feira no centro de Lisboa da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.
Comentários