Cuatrecasas assessora juridicamente a venda da GNB Vida à Global Bankers

A sociedade de advogados anunciou que está a assessorar juridicamente o Novo Banco na venda da GNB Vida à Global Bankers, uma operação com um valor de 190 milhões de euros, e que foi anunciada esta quarta-feira, dia 12 de Setembro.

Depois da Garrigues ter anunciado que está a assessorar a Global Bankers Insurance Group na aquisição da GNB Vida, foi a vez da Cuatrecasas anunciar que esteve envolvida como assessora jurídica do Novo Banco.

A sociedade de advogados anunciou que está a assessorar juridicamente a venda da GNB Vida à Global Bankers, uma operação com um valor de 190 milhões de euros, e que foi anunciada esta quarta-feira, dia 12 de Setembro.

Esta operação inclui ainda a celebração entre o Novo Banco e a GNB Vida de um contrato de distribuição de produtos de seguros vida em Portugal, por um período de 20 anos.

A Cuatrecasas mobilizou para esta operação “uma equipa interdisciplinar envolvendo designadamente as áreas de Bancário, Seguros, Societário e M&A”, explica a sociedade.

Da equipa de advogados que prestaram assessoria ao Novo Banco fizeram parte João Mattamouros Resende, Manuel Requicha Ferreira, Paulo Costa Martins, Ana Sofia Silva, Francisco Soares Machado, João von Funcke, Filipe Valentim Ramos e Miguel Lencastre Monteiro.

A GNB Seguros Vida, companhia de seguros do Novo Banco (ex-BES Vida), estava em processo de venda desde Agosto do ano passado. O processo tem sido gerido pelo Novo Banco e acompanhado pelo Fundo de Resolução.

A concretização da operação de compra e venda da GNB Vida encontra-se dependente da verificação de diversas condições, incluindo a obtenção das autorizações regulatórias necessárias

Ler mais
Recomendadas

PremiumSérgio Gaio: “Empresas devem preocupar-se em entender os próprios dados”

Sérgio Gaio, ‘associate director’ da Accenture Technology, defende que a tendência no sentido de bens e serviços cada vez mais personalizados pode ser positiva sobretudo para os setores da indústria.

Fintechs com “misto de sensações” sobre acesso a contas bancárias

Os novos operadores da área financeira consideram que os bancos devem ir além das obrigações da diretiva dos pagamentos.

RGPD: Aplicação prática apenas nas grandes empresas?

Será muito mais benéfico para uma Google infringir o diploma europeu, pagar a coima e continuar com receitas bilionárias do que para uma startup, que se está lançar no mercado e se, por acaso, o violar o regulamento pode ir à falência.
Comentários