Ministério Público rejeita acusações de Orlando Figueira contra Proença de Carvalho

O Ministério Público alega questões formais para não aceitar acusações contra Daniel Proença de Carvalho, no âmbito do proceso Fizz.

Cristina Bernardo

O Ministério Público (MP) pediu que as acusações feitas pelo ex-magistrado Orlando Figueira contra Daniel Proença de Carvalho, no âmbito do processo Fizz, não tenham seguimento, noticia o “Correio da Manhã” (CM) desta quarta-feira.

Segundo um requerimento assinado pelo procurador José Gois, de acordo com o CM, o documento onde constam as acusações contra Proença de Carvalho não pode tornar-se “sub-repticiamente” numa contestação encapotada, realçando que  dificilmente “os factos que da mesma contam possam ser chamados à colação em sede de audiência”.

Também o banqueiro Carlos Silva é envolvido nas acusações feitas por Orlando Figueira, segundo o CM. O julgamento do proceso Fizz está marcado para o dia 22 de janeiro.

Relacionadas

Ex-procurador acusado de corrupção aponta o dedo a Carlos Silva e Proença de Carvalho

A PGR confirma que está a investigar as declarações do ex-procurador Orlando Figueira, que é acusado de corrupção. Proença de Carvalho vai apresenta queixa crime contra o ex-procurador, por difamação.
Recomendadas

João Monteiro nomeado Vice-Procurador-Geral da República

Deliberação foi tomada, hoje, em sessão plenária, presidida pela Procuradora-Geral da República, informa o Ministério Público.

Justiça dos EUA impede Benfica de aceder a dados de bloggers associados ao e-toupeira

Apesar da decisão judicial, pelo arquivamento da queixa, o Benfica já tinha chegado a acordo com a Google – embora os temos não sejam conhecidos.

Advogados vão pagar menos quotas em 2019

A proposta que estipula a alteração do regulamento das quotas dos advogados e a sua redução em cerca de 1,2 milhões de euros foi aprovada pela assembleia-geral extraordinária da Ordem dos Advogados.
Comentários