Declarações da Fed anima investimentos e Wall Street arranca em alta

Fed poderá ir além do esperado na descida dos juros e os investidores mostraram otimismo na abertura de Wall Street. A bolsa arranca assim em alta, em sintonia com o comportamento da maioria europeia. Os comentários de dois responsáveis da Fed de que o Banco Central norte-americano poderá ser mais agressivo na descida de juros foram recebidos com agrado pelos investidores. Destaque para os bons resultados da Microsoft.

Wall Street abriu a última sessão da semana em alta, alinhando pelo mesmo otimismo das praças europeias. Na base deste sentimento positivo nos principais índices norte-americanos estão os comentários de dois responsáveis da Fed de que o Banco Central norte-americano “poderá ser mais agressivo na descida de juros foram recebidos com agrado pelos investidores”, de acordo com o comentário de abertura de Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millenium bcp.

A nível empresarial de notar a boa reação às contas da Microsoft põe o título a subir +2,15%.  A empresa divulgou nesta quinta-feira aos seus números e reportou uma receita trimestral acima do esperado por analistas, apesar de desaceleração do produto de computação em nuvem Azure e do conjunto de softwares Office.

Desde que o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, assumiu o comando em 2014, a companhia tem mudado seu foco do Windows para serviços de computação em nuvem. O valor de mercado da Microsoft quase quadruplicou desde então e a empresa tem conseguido evitar a atenção de reguladores atraída por outras gigantes de tecnologia como Alphabet, Apple e Facebook, segundo a Reuters.

Satya Nadella apresentou os valores para este trimestre e colocou em cima da mesa uma receita de 33,7 mil milhões de dólares. Isto representa um valor 12% mais elevado que o mesmo período do ano passado.

No quatro trimestre fiscal, o crescimento de receita do serviço Azure foi de 64%, face aos 89% um ano antes e 73% nos três meses imediatamente anteriores.

O lucro cresceu 23%, atingindo a marca de 43 mil milhões de dólares.

A Boeing anunciou o registo de uma imparidade mas está também em alta de 3,45%.

O Dow Jones subiu 0,21% para 27.280,7 pontos; S&P 500 sobe 0,33% para 3.005, 05 pontos; Nasdaq ganha 0,34% para 8.235,3 pontos.

O petróleo West Texas está em alta de 0,51% para 55,58 dólares, seguindo o brent que valoriza 0,63% para 62,32 dólares.

O euro cai 0,37% para 1,1235 dólares.

(atualizada)

 

Ler mais

Recomendadas

Emprego norte-americano dá ânimo a Wall Street

Em novembro, foram criados 266 mil novos postos de trabalho nos Estados Unidos, 47% acima das estimativas, que apontavam para a criação de 180 mil novos empregos. A taxa de desemprego caiu mais do que o era esperado, para os 3,5% – previsa-se que ficasse nos 3,6%, idêntica à taxa registada no mês de outubro.

Wall Street sem gás à espera de dados económicos

Um número que a ser alcançado não belisca a ideia bem estabelecida nos analistas de que é a força do mercado de trabalho que está a sustentar o crescimento económico.

China quer dominar reconhecimento facial

Os temas mais sensíveis entre os EUA e a China têm mais relação com supremacia tecnológica do que com tarifas. O objetivo é desenvolver e dominar o setor da Inteligência Artificial a nível global.
Comentários