Défice de Portugal recua para 1,6% no segundo trimestre do ano

Na União Europeia (UE), o défice subiu para os 1,3% se comparado com os 1,1% do primeiro trimestre de 2017, mas caiu também em termos homólogos.

O défice da zona euro desceu para 1,2% no segundo trimestre face ao do período homólogo (1,8%), mas agravou-se em relação ao registado no trimestre anterior (1,0%), anunciou o Eurostat.

Na União Europeia (UE), o défice subiu para os 1,3% se comparado com os 1,1% do primeiro trimestre de 2017, mas caiu também em termos homólogos, já que o rácio do défice em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) tinha sido de 2,1% entre abril e junho do ano passado.

A Roménia (4,1%), o Reino Unido (3,4% e a França (2,8%) são, entre os países para os quais há dados disponíveis, os que registaram os maiores défices públicos.

Malta teve um excedente orçamental de 2,3% do PIB, seguindo-se a República Checa (1,9%) e a Letónia (1,6%).

Em Portugal, o défice de Portugal recuou para 1,6% do PIB no segundo trimestre, face aos 3,0% homólogos, e agravou-se face aos 0,8% do primeiro trimestre, revelou hoje também o Eurostat num boletim em que volta a adiar uma decisão sobre o impacto da recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Recomendadas

Governo aprova benefícios fiscais para investimentos de 400 milhões de euros

Investimentos representam 390 milhões de euros e a criação de postos de trabalho.

Produção automóvel em Portugal cresce 101,5% em setembro

A Europa continua a ser o mercado líder nas exportações dos veículos fabricados em território nacional – com 90,2 por cento – com a Alemanha (21,4%), França (14,6%), Itália (11,9%) e Espanha (10,1%) no topo do ranking.

Costa sobre as negociações do Brexit: “Ninguém tem interesse em que não haja acordo”

Muitos dossiês foram desbloqueados e o que resta nesta “ponta final” das negociações é a questão da fronteira da Irlanda com a Irlanda do Norte, que admitiu ser “delicada e difícil”, esclareceu o primeiro-ministro sobre as negociações com Londres sobre a saída do Reino Unido da União Europeia
Comentários