Demissão afastada, apesar de coro de críticas

Presidente do Sporting não se demite, após segundo maior acionista retirar apoio a direção. E apelos de Ricciardi, sócio do clube, e Eduardo barroso, apoiante de Bruno de Carvalho.

António Cotrim/Lusa

Bruno de Carvalho está debaixo de fogo de todos os quadrantes. Uma grande parte dos órgãos sociais já se demitiu e o próprio Presidente da República poderá não assistir à final da Taça, no domingo. Mas o presidente dos ‘leões’ recusa demitir-se e, à hora de fecho da edição, aguardava-se uma nota do conselho diretivo do Sporting.

A Holdimo, do empresário angolano Álvaro Sobrinho, pediu a demissão de Bruno de Carvalho porque “está a pôr em risco os ativos” e “não merece a confiança do segundo maior acionista” da Sporting SAD com cerca de 30% do capital, a seguir à Sporting SGPS com 37,26%.

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

 

Relacionadas

Crise inédita coloca Sporting a um passo do colapso

Sem apoio dos notáveis, Bruno de Carvalho tornou-se tóxico para o clube. SAD afunda na bolsa, ativos em risco, patrocinadores repensam apoios.
Recomendadas

E-toupeira: novos emails divulgados indiciam ofertas a árbitros

“Correio da Manhã” e “Record” noticiam mensagens publicadas no blog intitulado “Mercado de Benfica” indiciam a existência de ofertas a árbitros, que incluem prostituição e o pagamento de contas de hotel, assim como registam a existência de uma relação estreita entre o Benfica e as suas claques.

Lucros do Benfica caem 53,7% para 20,5 milhões

O clube encarnado anunciou à CMVM lucros de 20,58 milhões de euros no exercício de 2017/2018, o que corresponde a uma queda de 53,7% face aos 44,53 milhões na época passada.

PremiumTransferências milionárias são um problema no futebol? FIFA prepara uma revolução

De acordo com um relatório da FIFA, encomendado por Gianni Infantino, o presidente do organismo máximo do futebol internacional pretende introduzir alterações no mercado de transferências. Entre os vários problemas, a especulação é a grande visada. Para já, é de esperar um limite aos empréstimos.
Comentários