Deputados ganham em média 6.156 euros nas viagens até casa

Os deputados recebem 0,36 cêntimos por cada quilómetro entre a sua casa e o Parlamento, independentemente do meio de transporte.

A Assembleia da República gastou em 2018 mais de 1,3 milhões de euros com as deslocações dos deputados nas viagens semanais até casa, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira, 15 de julho.

O abono de deslocação à residência dos deputados custou assim 6.156 euros, dividindo o valor total pelos 213 deputados.

O valor este ano já atinge os 803 mil euros, uma média de 3.773 euros por deputado.

Os deputados recebem 0,36 cêntimos por cada quilómetro entre a sua casa e o Parlamento, independentemente do meio de transporte.

O JN dá o exemplo de um deputado eleito pelo distrito do Porto. Pela viagem recebe 108 euros pelos 300 quilómetros percorridos. Se optar por se deslocar de Alfa Pendular (31,20 euros) ou através da Rede Expressos (19 euros), ainda resta 70 ou 80 euros.

Apesar de um relatório crítico do Tribunal de Contas a esta modalidade de atribuição de subsídios, a recente alteração das regras não alterou as regras.

Ler mais
Recomendadas

CDS quer actualização do Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa

Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral querem saber se está já em curso alguma actualização ao Plano de Contingência para controlo da Xylella fastidiosa e seus vectores, elaborado em 2016, e se não, para quando está pensada essa actualização. E enviaram a pergunta ao ao ministro da Agricultura, Florestas […]

Angela Merkel e Boris Johnson consideram prematuro regresso da Rússia ao G7

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disseram esta quarta-feira em Berlim ser prematuro considerar o regresso da Rússia ao G7, uma ideia avançada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump.

CDS-PP pede explicações ao Governo sobre pagamento de ‘vouchers’ para manuais escolares

O grupo parlamentar do CDS-PP pediu esta quarta-feira esclarecimentos ao Ministério da Educação pela alegada falta de pagamento dos ‘vouchers’ Mega, usados para adquirir manuais escolares, alegando que a situação “é insustentável” e demonstra “desgoverno” por parte do executivo.
Comentários