Descrição “prato do dia” nas faturas dá direito a multa do Fisco

Esclarecimento do Fisco surge na sequência de um pedido de um restaurante/bar inspecionado em julho do ano passado e ao qual foi aberto um processo de contra ordenação, com direito a multa, por se encontrarem incorretas as faturas que tinham a designação “prato do dia”, com a respetiva taxa de 13% de Impostos sobre o Valor Acrescentado (IVA).

As faturas simplificadas com a designação “prato do dia” vão passar a dar direito a multa por parte do Fisco. Numa nota divulgada pela Autoridade Tributária (AT) é referido que “tem de se separar os pratos das bebidas, e a descrição do serviço prestado aos clientes tem de ser de ser suficientemente precisa para se poder determinar, nomeadamente em sede de inspeção, qual a taxa de IVA aplicável”.

Este esclarecimento do Fisco surge na sequência de um pedido de um restaurante/bar inspecionado em julho do ano passado e ao qual foi aberto um processo de contra ordenação, com direito a multa, por se encontrarem incorretas as faturas que tinham a designação “prato do dia”, com a respetiva taxa de 13% de Impostos sobre o Valor Acrescentado (IVA).

A AT salienta que se trata de uma infração à lei, nomeadamente por omissões ou inexatidões de elementos obrigatórios, que devem constar na fatura e o restaurante pagou a multa, pedindo de seguida esclarecimentos ao Fisco. “Quando o serviço incorpore elementos sujeitos a taxas distintas para o qual é fixado um preço único [caso de um ‘menu’], o valor tributável deve ser repartido por várias taxas”, lê-se na nota.

O Fisco conclui que a restauração tem de separar os pratos das bebidas e descrever o serviço prestado aos clientes e assim poder determinar, nomeadamente em sede de inspeção tributária, qual a taxa de IVA aplicável.

Relacionadas

Fisco vai dar 5% das cobranças difíceis ao Fundo de Estabilização Tributário

Num diploma publicado esta quarta-feira, o Ministro das Finanças determinou que será de 5% a percentagem do montante das cobranças coercivas de 2017, oriundas dos processos da Autoridade Tributária e Aduaneira, para este fundo.

Empresas em situação de risco vão ser alertadas pelo Fisco

O “Jornal de Negócios” revela que a informação será gerida pela Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), com os administradores das empresas a receberem a informação sobre situações de risco por parte do Fisco.

Fisco com acesso a saldos bancários em 2019

A informação sobre o saldo das contas será relativa aos “saldos apurados a 31 de dezembro de 2018”, disse o Ministério das Finanças ao “Jornal de Negócios”.
Recomendadas

Marta Temido: Parecer da PGR diz que greve dos enfermeiros é “ilícita”

Ministério da Saúde reagiu em conferência de imprensa ao parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República (PGR), pedido em janeiro, que diz que greve cirúrgica é ilegal.

EconPol diz que União Bancária não protege bancos europeus das repercussões de uma crise orçamental italiana

Os planos orçamentais do novo governo italiano têm o potencial de desencadear uma nova crise financeira, diz o analista da EconPol Europe, Timo Wollmershäuser.

Carlos Moedas defende critérios para o investimento estrangeiro na Europa

Carlos Moedas destaca que o investimento chinês na Europa cresceu 600% entre 1995 e 2015, “com claras implicações na distribuição de poder a nível internacional”.
Comentários