“Deste lado não há greve”. Longas filas de espera para abastecer em Espanha

Neste âmbito, a confederação espanhola CETM aconselha os motoristas que operam em Portugal ou circulem nas estradas portuguesas a tomarem medidas e organizarem bem as suas rotas de viagem face aos possíveis engarrafamentos e paragens de trânsito.

A greve dos motoristas, que se iniciou hoje, está a provocar longas filas de espera nalguns postos de abastecimento em Espanha, sobretudo na cidade fronteiriça de Huelva, avançou a Confederação Espanhola de Transporte de Mercadorias (CETM).

A afluência anormal aos postos de abastecimento espanhóis deve-se aos problemas de tráfego rodoviário e escassez de combustível em todo o território português, devido à greve dos motoristas, por tempo indeterminado, convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM).

Neste âmbito, a confederação espanhola CETM aconselha os motoristas que operam em Portugal ou circulem nas estradas portuguesas a tomarem medidas e organizarem bem as suas rotas de viagem face aos possíveis engarrafamentos e paragens de trânsito.

Já na sexta-feira de manhã, vários automobilistas concentravam-se nos postos de combustíveis junto à fronteira luso-espanhola entre o Algarve e a Andaluzia preocupados com os efeitos da greve dos motoristas.

A três dias do início da greve, a Lusa visitou postos de abastecimento do lado espanhol da fronteira, em Ayamonte, e encontrou automobilistas portugueses a abastecer, como João Carlos Nogueira, que disse acreditar que “as filas que já se registam nos postos de combustíveis em Portugal são motivadas pelas notícias” sobre a greve, que “estão a alarmar” as pessoas.

“Não percebo como é que, a dias do início da greve, já há tanta fila pelo país para abastecer o carro. Quando chegar a greve, como vai ser?”, questionou este automobilista, frisando que, “para esperar em Portugal, mais vale vir a Espanha abastecer e ainda sai mais barato”.

Luís Carlos também estava a abastecer em Ayamonte, mas garantiu que a razão que o fez viajar cerca de 15 quilómetros entre Portugal e a bomba mais próxima não foi o receio das consequências da greve, mas “porque habitualmente o abastecimento já é feito em Espanha”.

“Deste lado não há greve, os combustíveis não vão acabar e temos sempre esta possibilidade de cá vir abastecer. Mas quem não mora junto à fronteira, não tem essa hipótese e pode ter a vida bastante complicada”, considerou.

A necessidade de regressar a casa depois das férias e as reportagens televisivas a mostrar filas nos postos de abastecimento também levaram Carlos Figueiroa a Ayamonte, disse este alentejano de Beja à Lusa.

“Começámos a ver as filas na televisão, decidimos que era melhor encher já o depósito, mas como já havia algumas filas nas bombas em Vila Real de Santo António, decidimos aproveitar para dar uma volta e abastecer aqui em Ayamonte”, afirmou.

Na sequência da greve dos motoristas, o Governo decretou serviços mínimos entre 50% e 100% e declarou crise energética, que implica “medidas excecionais” para minimizar os efeitos da paralisação e garantir o abastecimento de serviços essenciais como forças de segurança e emergência médica.

Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição da REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, com 54 postos prioritários e 320 de acesso público.

Ler mais
Relacionadas

Greve dos motoristas: Profissionais da GNR acusam António Costa de contrariar “princípios da democracia”

“Considera-se lamentável que o senhor primeiro-ministro tenha demonstrado que claramente desrespeita a dignidade profissional daqueles que servem a Guarda”, indicou a Associação em comunicado, voltando a manifestar-se contra a ideia de recorrer a profissionais da GNR para conduzir veículo pesados de transporte de matérias perigosas.

Marcelo e Costa reúnem-se em Belém para discutir greve dos motoristas

A reunião extraordinária entre o primeiro-ministro e Presidente da Republica está marcada para as 15h30, no Palácio de Belém.

Um em cada três postos da Auchan estão fechados

O grupo Auchan conta com 29 postos de abastecimento de combustível em Portugal. Fonte da retalhista disse à Lusa que está previsto que os 30% de postos encerrados reabram “até final do dia”.

Consulte aqui o mapa oficial da rede de emergência para saber onde abastecer

A Entidade Nacional para o Setor Energético criou este domingo um mapa interativo para auxiliar os condutores portugueses. A nova ferramenta, atualizada esta manhã, junta-se à já conhecida do grupo de voluntários VOST Portugal.
Recomendadas

Os números que contam nas legislativas do Reino Unido a 12 de dezembro

Esta quinta-feira encerra o prazo de inscrição dos candidatos e pelo menos 79 deputados não se vão recandidatar.

Javier Tebas: “Receitas televisivas? 42% do valor vem de fora de Espanha”

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, falou ao Jornal Económico sobre o processo de digitalização ao qual foi sujeita a La Liga. Este dirigente explicou ao JE como a La Liga se tornou um campeonato global com quase metade das receitas televisivas a virem de fora de Espanha.

Partido do Brexit recua para favorecer conservadores nas eleições

Nigel Farage não vai apresentar candidatos às legislativas britânicas de 12 de dezembro em quase metade dos círculos. “O que vamos fazer é concentrar os nossos esforços”, afirma.
Comentários