Dinheiro está a desaparecer na Suécia. Nórdicos estudam impactos dos pagamentos digitais

No ano passado, o valor de cash em circulação caiu para o nível mais baixo desde 1990 e registou um tombo de 40% face ao pico de 2007. Por isso, o Banco Central da Suécia está a analisar potenciais medidas para aliviar os efeitos negativos.

O dinheiro (notas e moedas) diminui a olhos vistos na Suécia. A tendência não é nova, estando em curso desde a viragem do século com a evolução dos sistemas de pagamento digitais e com cartões de crédito no país. No entanto, é cada vez mais comum que restaurantes, lojas e museus não aceitem dinheiro e as autoridades suecas estão preocupadas porque muitas pessoas não têm acesso a serviços digitais, especialmente os mais velhos.

O dinheiro físico está desaparecer, sendo preterido face a sistemas de pagamento digitais ou cartões de crédito. Por isso, o Banco Central da Suécia, o Riksbank, está a trabalhar num relatório sobre as consequências da tendência e necessidade tomar medidas para aliviar os efeitos negativos, segundo noticia a Bloomberg.

“Se o dinheiro for reduzido com muita rapidez, será difícil manter a infraestrutura financeira”, explicou Mats Dillen, líder da revisão parlamentar, à agência. No ano passado, o valor de cash em circulação caiu para o nível mais baixo desde 1990 e registou um tombo de 40% face ao pico de 2007. Neste cenário, Dillen acrescentou temer que o país entre numa espiral de consequências negativas e que os sistemas de pagamentos em dinheiro acabem por desaparecer.

Recomendadas

CEiiA vai integrar plataforma dos Oceanos das Nações Unidas

Esta adesão ao United Nations Global Compact decorrerá, hoje, em Nova Iorque no âmbito da Assembleia Geral da Nações Unidas, que contará com a presença da Ministra do Mar de Portugal, Ana Paula Vitorino.

Conheça os vencedores do IoT Challenge 2018 da PT Empresas

Um certame tecnológico para startups e empresas que actuam na área de machine to machine (M2M) e Internet of Things (IoT).

Smartphones: Huawei atinge vendas globais de 10 milhões de unidades

Valor foi alcançado nos primeiros cinco meses de 2018. As vendas dos dois smartphones tiveram especial incidência no mercado chinês e da Europa Ocidental.
Comentários