“Direito a desligar” do trabalho chumbado no Parlamento

A proposta do PS previa que “a utilização de ferramenta digital no âmbito da relação laboral não pode impedir o direito ao descanso do trabalhador, salvo com fundamento em exigências imperiosas do funcionamento da empresa”.

Os deputados do grupo de trabalho sobre as alterações à lei laboral chumbaram hoje as propostas dos vários partidos sobre o direito à desconexão profissional.

A proposta do PS previa que “a utilização de ferramenta digital no âmbito da relação laboral não pode impedir o direito ao descanso do trabalhador, salvo com fundamento em exigências imperiosas do funcionamento da empresa”.

Segundo a proposta, “na falta de acordo, o empregador define por regulamento as situações que devem constituir exigências imperiosas de funcionamento”.

Para o deputado do BE José Soeiro, a proposta dos socialistas é “perversa” e “perigosa” ao permitir que fiquem fixadas na lei as situações em que o trabalhador pode ser contactado.

Também a deputada do PCP Rita Rato recusou a proposta do PS, defendendo que a iniciativa dos socialistas permitiria “abrir brechas” no período de descanso do trabalhador.

O PCP propôs, por sua vez, um agravamento das penalizações em caso de violação do período de descanso, nomeadamente através da utilização das tecnologias de informação e de comunicação, mas a proposta também foi chumbada no grupo de trabalho.

Pelo caminho ficou também a proposta do BE que estabelecia que a violação dos tempos de descanso poderiam ser equiparada a assédio.

Os deputados do PSD e do CDS/PP sublinharam, por sua vez, que as propostas não integram o acordo de Concertação Social assinado há mais de um ano entre o Governo, a UGT e as confederações patronais.

Ler mais
Relacionadas

Vai de férias e não consegue desligar-se do trabalho? Siga estas cinco dicas para desfrutar do descanso

Está prestes a ir de férias? Os últimos dias de trabalho antes da partida podem ser muito stressantes, pois há muita coisa para deixar fechada. Siga estas cinco dicas para conseguir fazer tudo a tempo e ir de férias descansado, segundo a Robert Walters, consultora de recrutamento e seleção especializada.

Direito a desligar do trabalho: o novo projeto de lei e onde não se pode falhar

O grupo parlamentar do PS esteve bem ao não se deixar influenciar pela proposta do legislador francês de apenas prever o direito a desligar para o universo de empresas com 50 ou mais trabalhadores.

Farto de atender chamadas e responder a emails fora do horário laboral? Direito a desligar vai ser discutido no Parlamento

O projeto lei do Partido Socialista pretende dar diversos direitos aos trabalhadores na chamada era digital.
Recomendadas

CGD: rendimento líquido com comissões e serviços aumentou 13% entre 2015 e 2018

Segundo o Relatório e Contas da CGD de 2015, os rendimentos do banco público com serviços e comissões atingiram os 440,2 milhões de euros, ao passo que os encargos atingiram os 92,7 milhões, resultando num rendimento líquido de 347,5 milhões de euros.

Turismo do Algarve continuou a crescer em agosto

As receitas do turismo algarvio atingiram 904,2 milhões de euros acumulados desde janeiro de 2019, um valor equivalente a 41,6% do total dos proveitos arrecadados pelo todo nacional.

Administradora da Sonae eleita pelo WBCSD na categoria de excelência

Os Leading Women Awards do WBCSD têm como objetivo, segundo a organização, reconhecer as lideranças femininas que mais contribuem para os objetivos de desenvolvimento sustentável entre as 200 empresas associadas.
Comentários