Diretor do Aeroporto da Madeira nega “discriminação” salarial nos operadores de socorro da ANA

Duarte Ferreira foi hoje ouvido numa audição parlamentar na Assembleia Legislativa requerida pelo PCP sobre “a discriminação salarial exercida sobre os bombeiros do aeroporto afetos à Efacec”.

Ler mais

O diretor do Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo, Duarte Ferreira, negou esta quinta-feira haver discriminação salarial nos operadores de socorro da ANA – Aeroportos de Portugal, afirmando desconhecer os salários pagos na empresa contratada para este serviço.

Duarte Ferreira foi hoje ouvido numa audição parlamentar na Assembleia Legislativa requerida pelo PCP sobre “a discriminação salarial exercida sobre os bombeiros do aeroporto afetos à Efacec”, agora denominada ATM, empresa concessionária de serviços de socorro na infraestrutura.

“Sobre eventuais discriminações salariais, na nossa opinião, elas não existem, porque todos os operadores de socorro que são pertencentes à ANA ganham um salário que está definido no Contrato Coletivo de Trabalho no Acordo de Empresa da ANA. A sua progressão também acontece, não há qualquer discriminação”, disse.

Duarte Ferreira revelou, no entanto, que em 2010 o grupo de empresas da ANA decidiu que a área dos socorros deveria ser “externalizada” e, na sequência de um concurso público, essa missão também foi concessionada à Efacec, agora ATM.

“O que nós temos é um prestador de serviço externo contratado para prestar serviço na sequência de um concurso público e, naturalmente, não conhecemos a grelha salarial desse prestador de serviços”, referiu.

A ATM tem contrato com a ANA até ao final de setembro de 2020.

Ricardo Lume, deputado regional do PCP, revelou, contudo, que um operador de socorro na ANA aufere 946 euros e um da ATM 594 euros.

A possibilidade de os operadores de socorro virem a integrar a ANA em 2020 foi afastada pelo diretor do aeroporto, que falou em nome do presidente da ANA, dada a sua impossibilidade de ir à Madeira nesta altura.

“Penso que não”, respondeu ao deputado comunista.

A Comissão Permanente de Administração Pública da Assembleia, presidida pelo deputado do JPP Carlos Costa, tinha previsto ouvir o representante da ATM – Assistência Total em Manutenção, mas este não compareceu à audição de hoje.

Recomendadas

Custos excessivos com a educação e transportes preocupam CDU

O partido calcula que um agregado familiar com um estudante, sem ação social, gaste entre os 337 e os 1.680 euros por ano num título de transporte. O deputado Ricardo Lume, diz que estes são “preços exorbitantes” que “pesam excessivamente” nos orçamentos da população.

Maior aposta no desporto escolar entre as prioridades do PS

Os apoios às competições nacionais e internacionais foi outro assunto focado num debate sobre políticas públicas desportivas. O candidato do PS Madeira às Eleições Regionais, Paulo Cafôfo, defendeu “justiça e equidade” tendo em conta o retorno que dão à Região Autónoma.

Quintas do Funchal abrangidas por programa de podas e tratamento de árvores

A intervenção é feita através do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza por motivos de segurança. Com esta medida o organismo espera garantir que as árvores se mantenham saudáveis e com isso valorizar os espaços verdes da Madeira.
Comentários