Dívida pública cai 3,6 mil milhões de euros em junho

O Banco de Portugal divulgou esta quarta-feira que a dívida pública tombou para os 247 mil milhões de euros, depois de ter registado um valor recorde em maio.

Cristina Bernardo

A dívida pública caiu 3,6 mil milhões de euros em junho, para 246,673 mil milhões de euros, depois de ter registado um valor recorde de 250,313 mil milhões de euros em maio. O Banco de Portugal (BdP) explicou esta quarta-feira que esta evolução se deveu ao decréscimo dos títulos de dívida e dos empréstimos.

“Os ativos em depósitos das administrações públicas diminuíram 4,8 mil milhões de euros, pelo que a dívida pública líquida de depósitos registou um aumento de 1,1 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 227,5 mil milhões de euros”, refere o regulador bancário, num boletim estatístico.

Na ótica de Maastricht, a dívida portuguesa líquida de ativos em depósitos das administrações públicas foi de 227, 473 mil milhões de euros no mês passado.

De acordo com a análise do Conselho de Finanças Públicas (CFP), publicada no final do mês passado, o peso da dívida pública na economia portuguesa deverá continuar a diminuir nos próximos anos, mas manter-se próximo de 95% em 2033. A projeção do CFP para a dívida nominal, dentro de 15 anos, é de 309,8 mil milhões de euros, face aos 242,6 mil milhões de euros, no final de 2017.

No primeiro trimestre deste ano, a dívida pública fixou-se nos 86,8% do PIB na zona euro e nos 81,6% na União Europeia, conforme assinalou recentemente o Eurostat. Portugal ‘conquistou’ a terceira maior (126,4%), logo depois da Grécia (180,4%) e de Itália (13,4%).

Relacionadas

Portugal é dos países onde as famílias mais investem em dívida pública

Nos últimos anos, os portugueses passaram a investir mais em dívida do Estado. Em maio, o valor da dívida direta do Estado totalizava 246,3 mil milhões de euros e cerca de 14% desse valor estava nas mãos das famílias.
Recomendadas

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais, diz a PwC

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

FMI indica três passos para evitar uma crise de dívida pública

O artigo publicado hoje no IMFBlog, o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que “a sustentabilidade da dívida de alguns países de alto risco tem sido objeto de muito debate público”, mas, no entanto, “o peso da dívida pública é um problema crescente em todo o mundo”.

Luís Pedro Martins eleito para mandato de 5 anos na Turismo Porto e Norte de Portugal

De acordo com os atuais estatutos da TPNP, o mandato da comissão executiva tem a duração de cinco anos e só pode ser renovado uma vez.
Comentários