Dona do Minipreço põe à venda as 71 lojas da perfumaria Clarel em Portugal

A dona dos supermercados Minipreço baixou o valor de venda inicial em 50 milhões de euros e espera agora obter entre 100 a 150 milhões de euros pelas 1.271 lojas da Clarel na Península Ibérica.

A filial que detém o supermercado Dia colocou a cadeia de perfumarias Clarel à venda, juntamente com o supermercado espanhol Max Descuentos. A venda destas duas filiais faz parte do plano de reestruturação da multinacional espanhola, que está sob uma oferta pública de aquisição (OPA) apresentada pelo investidor russo Mikhail Fridman no passado dia 5 de fevereiro.

Ainda assim, o grupo Dia, o dono das lojas Minipreço, encontrou um inconveniente nesta operação de venda que não estava à espera: a perda de valor da cadeia Clarel. “Durante o ano 2018, a sociedade registou perdas de investimento no valor de 51.370 milhões de euros, que correspondem à participação da entidade independente Beauty by Dia, S.A (Clarel)”, assinalou o grupo espanhol de supermercados.

As lojas de perfumaria e cuidados pessoais, adquirida ao grupo alemão Schlecker em 2013, têm agora uma nova valorização, que embora seja mais conservadora levou a um corte no preço, que agora se situa entre os 100 e 150 milhões de euros. Este novo valor da Clarel teve uma queda de 50 milhões de euros, ainda assim o grupo espera recuperar esse dinheiro na venda da cadeia de lojas grossistas Max Descuentos, que apenas existe em Espanha.

As vendas da Clarel e do Max Descuentos em conjunto com a ampliação de capital que está prevista para o primeiro trimestre deste ano no valor de 600 milhões de euros, que o grupo negociou com Morgan Stanley, são os dois pilares financeiros para o plano de reestruturação que vai entrar em vigor ainda este ano.

O jornal Expansion garante ainda que parte do dinheiro obtido da venda dos dois negócios, o equivalente a 100 milhões de euros estão comprometidos para amortizar a dívida do grupo Dia com a banca.

A Clarel conta com um conjunto de 1.271 lojas na Península Ibérica (1.200 em Espanha e 71 em Portugal). Em 2018, estas lojas faturaram 288,8 milhões de euros, tendo perdas de 49 milhões de euros. O Max Descuentos obteve 95,9 milhões de euros de lucro e perdeu 6,5 milhões. Em conjunto, as duas marcas contam com um total de 3.700 trabalhadores.

Ler mais
Relacionadas

Receitas dos supermercados Dia em Portugal descem para 808 milhões de euros em 2018

A dona do Minipreço terminou 2018 com menos 27 lojas (próprias e em regime franchising) no país. “2018 foi provavelmente o mais difícil desde a fundação da empresa há mais de 40 anos”, admite o conselheiro delegado da empresa, Borja de la Cierva Álvarez de Sotomayor.

Dona do Minipreço com prejuízos de 352 milhões anuncia despedimento de 2.100 trabalhadores

Os administradores não consideram a OPA hostil, mas impõem várias condições.

Administração de dona do Minipreço não fecha a porta à OPA mas impõe condições

O conselho de administração da retalhista espanhola DIA fez uma primeira análise à OPA lançada pelo fundo Letterone, controlado pelo russo Mikhail Fridman.

Credores da dona do Minipreço negoceiam plano de resgate alternativo à OPA

O acordo necessita da unanimidade de doze entidades financeiras. Contudo, os credores estão dispostos a negociar os termos e taxas de juros.

Dona do Minipreço dispara mais de 60% após acionista russo anunciar OPA

A LetterOne, com sede em Luxemburgo, acionista maioritária do grupo Dia, refere que as ações estarão a 0,67 euros e que a OPA terá como objetivo a saída da bolsa e valorizar a retalhista em cerca de 500 milhões de euros.
Recomendadas

Dona do Minipreço propõe ao magnata russo suspender aumento de capital

O conselho de administração do Dia acredita que um empréstimo de 100 milhões de euros evitaria que a cadeia de supermercados fosse à falência.

APED estabelece protocolo com Agência Portuguesa do Ambiente para deduzir consumo de plástico

O acordo prevê o desenvolvimento e teste de soluções alternativas aos plásticos descartáveis de origem fóssil, através de parcerias com universidades ou centros de investigação.

Acionistas do grupo Dia vão votar aumento de capital de 500 milhões de euros

A LetterOne, fundo do investidor russo Mikhail Friman, formalizou a oferta pública de aquisição (OPA) e pretende que esta seja votada na assembleia de acionistas do grupo espanhol, no próximo dia 20 de março.
Comentários