Donald Trump escolhe novo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA

O presidente dos EUA anunciou hoje a nomeação, para o posto de chefe de Estado-Maior das Forças Armadas, do general Mark Milley, atual chefe do Estado-Maior do Exército, o qual participou nas guerras do Iraque e do Afeganistão.

Se for confirmado pelo Senado, Mark Milley sucederá ao general Joe Dunford, nomeado para o cargo em 2015 por Barack Obama por dois anos e que Trump manteve num segundo mandato.

Milley, 60 anos, beneficiará de uma nova lei, aprovada em 2017, que duplica a duração dos mandatos do chefe do Estado-Maior e do seu adjunto.

Ao anunciar a escolha na rede social Twitter, Trump declarou-se “reconhecido” aos dois homens, o nomeado e o que é substituído, “pelo serviço prestado ao país”.

O general Dunford já felicitou o seu sucessor.

Trump disse que a data de transferência do poder ainda não foi determinada. Dunford devia reformar-se em outubro de 2019, mas a sua saída poderá ser antecipada.

Segundo vários meios de comunicação social, que citam fontes não identificadas do Pentágono, o secretário da Defesa norte-americano, James Mattis, preferia que o posto fosse ocupado pelo chefe do Estado-Maior da Força Aérea, o general David Goldfein, seguindo a tradição do Pentágono de as diversas armas se sucederem no cargo.

“Conhecemos a escolha do Presidente e partilhamos a sua confiança no general Mark Milley”, reagiu o Pentágono através de um porta-voz, o tenente-coronel Mike Andrews.

“O Ministério da Defesa continua totalmente focado na defesa do nosso país”, precisou o porta-voz num breve comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Revolta dos “coletes amarelos” já causou prejuízos superiores a mil milhões de euros

O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, disse hoje que os protestos foram um golpe sério para as empresas e a economia da nação.

Emmanuel Macron fala aos franceses na segunda-feira

O Presidente francês, Emmanuel Macron, vai dirigir-se à nação na segunda-feira às 20:00 (19:00 em Lisboa), anunciou hoje o Eliseu, após o silêncio em relação às últimas manifestações dos “coletes amarelos”.

Bernard Madoff: 10 anos sobre maior esquema Ponzi da história

Considerado o autor da maior fraude de sempre, foi condenado, aos 71 anos, a 150 anos de prisão. Em tribunal, pediu desculpa aos investidores, empregados e à mulher.
Comentários