Dona da Zara e Maximo Dutti aumenta lucros em 6,7%, para 3.368 milhões de euros

Em Portugal, o grupo Inditex tinha no final do ano passado 342 lojas com as marcas de Zara (70), Zara Kids (16), Pull&Bear (51), Massimo Dutti(42), Bershka (49), Stradivarius (44), Oysho (36), Zara Home (28) e Uterque (6).

Ler mais

O grupo espanhol Inditex, dono da Zara e Maximo Dutti e líder mundial da venda de roupa a retalho, anunciou hoje lucros de 3.368 milhões de euros no exercício anual terminado em janeiro, mais 6,7% do que em 2016.

Segundo a informação enviada hoje pela empresa galega à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola), no exercício fiscal de 01 de fevereiro de 2017 até 31 de janeiro de 2018, as vendas aumentaram 8,7%, para 25.336 milhões de euros e o grupo tinha 7.475 lojas em todo o mundo.

A Inditex sublinha que as vendas ‘online’ aumentaram 41% e são agora responsáveis por 10% das vendas totais do grupo em 2017.

Os resultados operacionais (EBIT) cresceram para 4.314 milhões de euros, um aumento de 7 % (+12% a taxa de câmbio constante) e a margem bruta foi de 14.260 milhões de euros, 7% superior ao exercício anterior, o que representa 56,3% das vendas.

As vendas comparáveis (lojas existentes nos dois últimos exercícios) aumentaram 5% no exercício que terminou a 31 de janeiro último, quando no anterior tinham subido 10%.

O resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações (EBITDA) foi de 5.277 milhões de euros, um aumento de 4 % em relação a 2016 (+8% a taxa de câmbio constante).

Em Portugal, o grupo Inditex tinha no final do ano passado 342 lojas com as marcas de Zara (70), Zara Kids (16), Pull&Bear (51), Massimo Dutti(42), Bershka (49), Stradivarius (44), Oysho (36), Zara Home (28) e Uterque (6).

Relacionadas

Jeff Bezos ultrapassa Bill Gates como “homem mais rico do mundo”

A fortuna acumulada pelo criador da Amazon aumentou 39 mil milhões de dólares, totalizando 112 mil milhões e suplantando assim o fundador da Microsoft no “ranking” anual de bilionários da revista “Forbes”. Ao nível europeu, Amancio Ortega (Inditex) foi ultrapassado por Bernard Arnault (LVMH).

Dona da Zara cai 7% na bolsa à espera de maus resultados. A crise chegou à Inditex?

A gigante Amazon tem assumido várias investidas para entrar no campo da moda. Os que mais sofrem são as cadeias de retalho de moda tradicionais. A Inditex apresenta resultados a 14 de março.

Inditex volta a estar contra as tendências: comprou instalações na Catalunha

Grupo fundado por Amancio Ortega nunca se confinou aos shoppings nem nunca transferiu o grosso da produção para a China. Agora, quando outras empresas fogem da Catalunha, investe no território da autonomia.

Walmart mantém liderança do retalho mundial, mas Amazon e Inditex não param de subir

A retalhista mantém-se no primeiro lugar do ‘ranking’ da Deloitte seguido da Costco e da Kroger.

Santander ultrapassa dona da Zara como maior empresa espanhola na bolsa

O grupo bancário presidido por Ana Botin subiu na bolsa nas últimas semanas e reduziu a sua distância para a Inditex, que detém marcas como Zara, Stradivarius, Maximo Dutti, Berska, Pull & Bear e Oysho, entre outras.
Recomendadas

Metro de Lisboa lança concurso para compra de comboios

O atual Governo disponibilizou uma verba de 210 milhões de euros para a renovação da frota do Metropolitano de Lisboa.

Carlos Tavares diz que Concorrência e Bruxelas analisaram as propostas do Governo sem olhar para mercado ibérico de eletricidade

“Qualquer análise de concorrência tinha de ser feito no âmbito do mercado ibérico, o que foi totalmente esquecido no parecer da Autoridade da Concorrência que se baseava apenas no funcionamento do mercado fechado”, disse o ex-ministro que diz que “se há coisa que se arrepende é de ter sido Ministro da Economia”.

Serviço público dá prejuízo às farmácias, conclui estudo da ANF

Associação Nacional de Farmácias salienta as conclusões do estudo “Sustentabilidade da Dispensa de Medicamentos em Portugal”, realizado pela Universidade de Aveiro em colaboração com a sociedade de revisores oficiais de contas Oliveira, Reis & Associados.
Comentários