Dos 44 milhões orçamentados para investimento, CP só gastou ainda um décimo

Empresa pública dispendeu 4,7 milhões de euros até junho, o que corresponde a 10,6% da verba prevista no Orçamento do Estado. No último ano o valor para investimento foi de 19 milhões, mas a CP somente usou 27% dessa verba.

Jose Manuel Ribeiro / Reuters

A CP – Comboios de Portugal só dispendeu um décimo dos 44 milhões de euros que tem para investir no ano de 2018, até ao mês de junho, noticia o “Jornal de Noticias” (JN). No primeiro semestre do ano a empresa gastou 4,7 milhões de euros, o equivalente a 10,6% do valor previsto no Orçamento do Estado, de acordo com a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO).

Numa altura em que o funcionamento normal da empresa tem tido várias dificuldades que já levaram a diversas queixas por parte dos passageiros, que diariamente utilizam o transporte ferroviário. De resto, a análise da UTAO revela que apesar do número de passageiros ter subido nos últimos anos, a CP tem vindo a gastar cada vez menos.

Caso os 44 milhões de euros de investimento que a empresa tem para este ano vierem a ser cumpridos, representará um aumento de 132% em relação a 2017. Contudo, o investimento caiu 10% no primeiro semestre de 2018, o que de acordo com a UTAO mostra semelhanças com o último ano, onde a CP tinha 19 milhões de euros para investir, mas apenas usou 27% dessa verba.

O relatório do índice da Railway Perfomance Index (RPI) da consultora Boston Consulting Group (BCG), que mede o desempenho dos sistemas ferroviários na Europa, revela que Portugal está no antepenúltimo lugar apenas à frente de Roménia e Bulgária.

Numa escala de 0 a 10 que engloba os factores de segurança, qualidade do serviço e intensidade do uso da infraestrutura, o nosso país fica tem uma média geral de 2,4 pontos. O topo da tabela é ocupado pela Suíça, Dinamarca e Finlândia.

Relacionadas

Governo garante que administração da CP está em funções

A transportadora ferroviária nacional está a ser alvo de um crescendo de críticas.

Comunistas prometem confrontar ministro e presidente da CP sobre “rutura” da ferrovia

Na nota, os comunistas referem que os problemas que têm vindo a ser noticiados são “a evidência de uma situação que o PCP há muito tem denunciado”.
Recomendadas

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais, diz a PwC

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

FMI indica três passos para evitar uma crise de dívida pública

O artigo publicado hoje no IMFBlog, o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que “a sustentabilidade da dívida de alguns países de alto risco tem sido objeto de muito debate público”, mas, no entanto, “o peso da dívida pública é um problema crescente em todo o mundo”.

Luís Pedro Martins eleito para mandato de 5 anos na Turismo Porto e Norte de Portugal

De acordo com os atuais estatutos da TPNP, o mandato da comissão executiva tem a duração de cinco anos e só pode ser renovado uma vez.
Comentários