Drones: ANAC envia queixa para o Ministério Público

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) abriu sete processos de contraordenação e remeteu uma queixa para o Ministério Público (MP) das 13 ocorrências com drones reportadas pela aviação civil desde a entrada em vigor do regulamento.

Na audição parlamentar sobre os incidentes com drones no país, Luís Ribeiro, presidente da ANAC garantiu hoje que a violação da legislação, que entrou em vigor a 13 de janeiro de 2017, já levou a entidade a levantar oito processos, dos quais sete processos de contraordenação e um de averiguação, informa a Lusa.

Luís Ribeiro realçou que o crescimento de ocorrências com drones “não é um exclusivo nacional”, mas admitiu que, nas últimas semanas, houve um aumento “sem paralelo”, o que relacionou com o “início das férias escolares”.

 

Recomendadas

Táxis: Profissionais preparam-se para continuar protesto por tempo indeterminado

Os taxistas têm estado concentrados em Lisboa, Porto e Faro, com as viaturas paradas nas ruas, para tentar impedir a entrada em vigor, em 01 de novembro, da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados de transporte que operam em Portugal – Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé.

Lei ‘Uber’ foi “aprovada por 80% dos deputados”, recorda Uber Portugal

Uber Portugal reage ao protesto dos taxistas e esclarece que lei foi aprovada por 80% dos deputados. Para a Uber, a lei que regula a atividade de TVDE traz “estabilidade e segurança jurídica” aos motoristas e utilizadores da Uber.

Universidade do Porto proíbe praxes que “atentem contra a dignidade”

O novo reitor emitiu um despacho ameaçando de expulsão os alunos que perpetuarem atos contrários aos regulamentos. A Universidade já antes tinha assumido esta postura, que se vai multiplicando em todo o país.
Comentários