É o melhor senhorio de Portugal? A Uniplaces quer premiá-lo até 2 mil euros

A votação vai ser feita por um painel de seis jurados, que vão selecionar os vencedores através de um conjunto de critérios quantitativos e qualitativos.

Esta é a primeira edição do Prémio “Melhor Senhorio de Portugal 2017”, promovida pela plataforma online para alojamento de estudantes universitários, a Uniplaces.

Ao todo são cinco categorias distintas: Melhor Senhorio Uniplaces; Senhorio 2.0; Senhorio Verde; Design&Estilo; Preço-Qualidade.

Para entrar no concurso tem de enviar a candidatura até o dia 15 de abril de 2017.

No dia 23 de abril vão ser anunciados os vencedores, e a cerimónia de entrega de prémios decorre na sede da Uniplaces, em Lisboa, no dia 27 de abril, pelas 18h30.

A categoria em destaque nesta primeira edição é a “Melhor Senhorio Uniplaces”, que irá galardoar com um prémio de 2 mil euros o senhorio que tem proporcionado aos inquilinos a melhor experiência de arrendamento e que contribui diariamente para tornar a Uniplaces numa marca de referência. As restantes categorias irão atribuir prémios no valor de mil euros cada, e poderão incluir qualquer tipo de senhorio ou proprietário, independentemente da plataforma onde sejam anunciados os imóveis.

 

Ler mais
Recomendadas

Alterações climáticas: 60% das plantações selvagens de café em risco de extinção

“Uma percentagem de 60% de todas as espécies de café em risco de extinção é extremamente alta, especialmente quando se compara isso a uma estimativa global de 22% das plantas em risco de extinção”, disse Eimear Nic Lughadha. Com o aumento das temperaturas globais, os investigadores estimam a produção desta planta deva cair pela metade até o final do século.

Arrendamento urbano: Comissão propõe regime de exceção para as autarquias

Proposta pretende aumentar a oferta dirigida à classe média/baixa no mercado de arrendamento habitacional.

Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acusa ministra da Saúde de dizer “inverdades”

Em causa estão as declarações da ministra da Saúde, Marta Temido, proferidas na quinta-feira no final de reuniões com os sindicatos dos enfermeiros, em que afirmou não ser possível “corrigir hoje, por uma revisão da carreira, tudo o que é um histórico de congelamentos” na profissão de enfermagem.
Comentários